Ônibus em São Paulo estão 50% menos poluentes do que há cinco anos

Dado faz parte do primeiro Boletim Monitor de Ônibus SP, que será atualizado bimestralmente

  • Por Jovem Pan
  • 12/02/2021 08h07
Willian Moreira/Estadão ConteúdoDe acordo com leis em vigor na cidade de São Paulo, as emissões somente do gás carbônico devem ser reduzidas pela metade até 2028

A emissão de gases de efeito estufa e poluentes do ar da frota de ônibus da cidade de São Paulo caiu 50% em 5 anos. A diferença foi observada pelo Instituto de Energia e Meio Ambiente de janeiro de 2016 a janeiro de 2021. O dado faz parte do primeiro Boletim Monitor de Ônibus SP, que será atualizado bimestralmente. No mês passado, a cidade esteve a maior parte do tempo cumprindo fases mais restritas da quarentena, com redução do funcionamento do comércio e serviços em geral. O pesquisador do IEMA, Felipe Barcellos, admitiu que a menor circulação de pessoas nas ruas gerou impacto, mas destacou outros fatores que não têm relação com a pandemia.

“A frota de ônibus tem sido renovada com ônibus menos poluentes do que os que compunham lá em 2016. Menos pessoas estão utilizando automóveis, com isso os ônibus disputam menos espaço na vida, com menos congestionamento ou parado. Aumentando a velocidade média do ônibus, o motor consegue trabalhar com maior eficiência. Com isso, emite menos gás de efeito estufa.” Em janeiro de 2020, os ônibus da capital paulista trafegavam a uma velocidade mediana de 17,3 quilômetros por hora. No mês passado, esses veículos circularam, em média, a 18,6 quilômetros por hora — aumento de 8% na velocidade.

O pesquisador, Felipe Barcellos, reforça a necessidade de repensar a mobilidade urbana. “Então aí pode citar os corredores e faixas de ônibus. Então conseguimos não só diminuir a poluição, mas também incentivar as pessoas as usarem o transporte público.” De acordo com leis em vigor na cidade de São Paulo, as emissões somente do gás carbônico devem ser reduzidas pela metade até 2028. Até lá, outros gases poluentes, como óxido de nitrogênio e material particulado, emitidos na combustão, também devem ter diminuição de 80 e 90%.

*Com informações da repórter Nanny Cox