Pais avaliam que qualidade da educação caiu com o ensino à distância, diz pesquisa

Os dados mostram que 63% dos jovens brasileiros, de 16 anos ou mais, tiveram aulas de forma remota, e 36% aulas suspensas

  • Por Jovem Pan
  • 13/08/2020 07h26 - Atualizado em 13/08/2020 08h21
Renato Cukier/Estadão ConteúdoO levantamento também revela que a qualidade do ensino diminuiu na opinião de 63% dos pais de alunos

Cerca de 52 milhões de estudantes tiveram os estudos afetados pela pandemia da Covid-19. É o que indica uma pesquisa realizada pelo Instituto DataSenado, que entrevistou 2.400 alunos por telefone. Os dados mostram que 63% dos jovens brasileiros, de 16 anos ou mais, tiveram aulas de forma remota, e 36% aulas suspensas. O levantamento também revela que a qualidade do ensino diminuiu na opinião de 63% dos pais de alunos. O evento de lançamento da pesquisa do DataSenado contou com órgãos e movimentos ligados à Educação do país. O senador Flávio Arns, relator do Novo Fundeb no Senado, destaca que a maioria dos pais deseja o retorno do ensino presencial após a pandemia. “Interessante observar o que os pais disseram, a qualidade diminuiu e isso os educadores também vêm apontados nas pesquisas. Os pais e as famílias sejam o aspecto presenciais depois da pandemia, 75% apontam para isso”, afirma.

A Presidente-executiva do Todos Pela Educação, Priscila Cruz, pondera que esse não é o momento para a volta das aulas presenciais. ” Mas tem que controlar a a pandemia. Enquanto a gente tiver esse ambiente de empurra e empurra, a responsabilidade é de um ou de outro e não ter uma coisa coordenada em nível nacional para poder acelerar o enfrentamento da pandemia, quem está pagando o preço disso são os alunos brasileiros, principalmente os mais pobres, como bem apontou a pesquisa”, explica. Em relação ao impacto no ambiente familiar, 42% dos que responderam à pesquisa relataram não haver mudança e para 28% houve piora. Por outro lado, aproximadamente um quarto dos entrevistados afirmaram que as aulas remotas melhoraram o ambiente familiar.

*Com informações do repórter Vinícius Nunes