Papa atribui ministérios leigos a mulheres pela primeira vez na história da Igreja Católica

Pontífice que trazer estabilidade e reconhecimento público ao sexo feminino; Lei para inclusão do gênero foi alterada em 2021

  • Por Jovem Pan
  • 24/01/2022 08h07
EFE/EPA/CLAUDIO PERI O Papa Francisco em cerimónia no Vaticano Vaticano destacou, no entanto, que a novidade não representa um sinal de que um dia as mulheres poderão se tornar padres

Os chamados ministérios leigos da Igreja Católica serão ocupados oficialmente por mulheres. O Papa Francisco conferiu os ministérios de Eleitorado e Catecismo durante celebração neste domingo, 23, na Basílica de São Pedro, em Roma. Em 2021, Francisco mudou a lei da igreja para ministério de eleitorado e acolheitado, que no geral eram destinados a seminaristas em preparação para o sacerdócio. Os leitores são responsáveis por ler as escrituras, enquanto os acólitos servem na missa e os catequistas ensinam os dogmas e princípios da religião para crianças e adultos convertidos. Francisco disse na ocasião que queria trazer estabilidade e reconhecimento público às mulheres, que já executavam esses papéis. Neste domingo, o Papa delegou seis mulheres e dois homens a função de eleitores e três mulheres e cinco homens ao cargo de catequistas. O pontífice criticou aqueles que precisam de regulamentos rígidos e mais regras para encontrar Deus. O Vaticano destacou, no entanto, que a novidade não representa um sinal de que um dia as mulheres poderão se tornar padres.

*Com informações da repórter Letícia Ticianeli