Participação de eleitores de 16 e 17 anos será a menor em uma eleição municipal desde 1990

Esses jovens representam 0,7% do eleitorado em 2020 contra 1,6% na última eleição municipal

  • Por Jovem Pan
  • 20/10/2020 08h07
Tiago Hardman/Futura Press/Estadão ConteúdoO Brasil tem quase 148 milhões de pessoas aptas a participar das eleições municipais de 2020

Aos 17 anos, o estudante Ravi Galbes está ansioso para votar pela primeira vez neste ano. “Além de ser uma experiência nova também é uma responsabilidade nova, levando em consideração da importância que um voto tem, ele define o nosso futuro, o nosso presente e também diz muito sobre quem a gente é”, afirma. Essa é a mesma expectativa do estudante Matheus Gomes que, aos 19 anos, também vai fazer a estreia nas urnas em novembro. Ele conta que aprendeu com os pais, desde cedo, a importância de exercer o direito do voto. “Desde pequeno eu sempre acompanhei meus pais na eleição. Eu peguei isso um pouco de exemplo.”

As urnas brasileiras aguardam Ravi, Matheus e pouco mais de 1 milhão de jovens eleitores a escolherem os representantes nas eleições municipais de 2020. Mas esse número de eleitores jovens já foi maior. Na verdade, já foi bem maior. A participação de eleitores jovens, com 16 e 17 anos de idade, no pleito municipal de novembro será a menor em uma eleição brasileira desde 1990. Dados do TSE, o Tribunal Superior Eleitoral, apontam que estão aptos a votar este ano pouco mais de 1 milhão de eleitores desse grupo, número 55% menor que o contabilizado em 2016. Esses jovens representam 0,7% do eleitorado contra 1,6% na última eleição municipal. Há 30 anos, para se ter uma ideia, eram 3,5% dos votantes.

A pandemia seria uma das hipóteses, mas, segundo o professor de ciência política da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, Hilton Fernandes, diz que esse queda também é fruto de uma frustração dos jovens com a Política. “Por tudo que aconteceu nos últimos anos, as denúncias de corrupção, os diversos casos envolvendo políticos, mas também a própria história que a gente viu, um impeachment, depois um presidente muito mal avaliado e na sequência uma eleição muito polarizada. Essa eleição muito polarizada de 2018 pode ter afastado os jovens da política tradicional”, explica. Ele também pontua que os partidos políticos devem mais oportunidade para os jovens discutirem e amadurecerem a ideia da importância do voto e da democracia. O Brasil tem quase 148 milhões de pessoas aptas a participar das eleições municipais de 2020 cujo primeiro turno está marcado para 15 de novembro.