Pazuello dá bronca em auxiliar e diz que ‘coronavírus não tem fim’

Para o ministro, hábitos adquiridos na pandemia devem prevalecer mesmo após a vacinação contra a Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 28/08/2020 08h01 - Atualizado em 28/08/2020 08h02
Najara Araujo/Câmara dos DeputadosPara o ministro, o país aprendeu a lidar com a Covid-19 e, por isso, quem pegar o vírus vai se tratar e melhorar, com raras pessoas tendo complicações

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, deu uma bronca pública no diretor de Vigilância, Eduardo Macari, durante uma apresentação. Em um encontro com secretários de saúde, Macari mostrava os números gerais do país na pandemia da Covid-19, afirmando que havia uma tendência nacional de estabilidade. Pazuello interrompeu o diretor, disse que o Brasil visto como um país único e sim com regiões claramente definidas. Segundo ele, o que está impactando a curva nacional são as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Com Norte e Nordeste em situações diferentes. “Não está assim e você sabe que não está assim. Tem que saber falar na hora que apresenta, do contrário você joga a informação como joga a mídia. Assim, a dona Maria, que tem um problema de câncer e mora lá em Belém, que não tem mais casos de óbito, não vai ao médico com medo de contaminar”, afirmou o ministro interino, reforçando que as regiões passam por diferentes momentos da pandemia.

Na mesma reunião, Pazuello disse que não vai existir fim do coronavírus. Para o ministro, o país aprendeu a lidar com a Covid-19 e, por isso, quem pegar o vírus vai se tratar e melhorar, com raras pessoas tendo complicações. Mas destacou que hábitos adquiridos na pandemia devem prevalecer. “Quando estiver a vacina vai acabar o coronavírus? Não, vamos conviver com o vírus. Vamos ter hábitos novos como o uso de máscara, como os afastamentos sociais necessários em alguns casos, distanciamento. É assim que funciona”, conclui.

*Com informações do repórter Levy Guimarães