PF deflagra 2ª fase da Operação Registro Espúrio; deputada Cristiane Brasil é alvo

  • Por Jovem Pan
  • 12/06/2018 07h52 - Atualizado em 12/06/2018 08h17
Gustavo Lima/Agência CâmaraA PF chegou à deputada a partir do material apreendido na primeira fase da Operação

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (12) a segunda fase da Operação Registro Espúrio. O objetivo é aprofundar as investigações sobre a suposta organização criminosa que teria cometido fraudes na concessão de registros de sindicatos pelo Ministério do Trabalho. Este grupo é formado por políticos e servidores.

O alvo da operação é a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ). A PF cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços da deputada, como o gabinete e o apartamento funcional.

Os agentes da PF cumprem ainda três mandados de busca e apreensão expedidos pelo STF em Brasília e Rio de Janeiro. Por meio de nota, a PF afirmou que “além das buscas, a pedido da Polícia Federal e da PGR, serão impostas medidas cautelares consistentes em proibição de frequentar o Ministério do trabalho e de manter contato com os demais investigados ou servidores do Ministério”.

Cristiane Brasil é filha do presidente do PTB nacional, Roberto Jefferson, que também é alvo da Operação. Ele também teve seus endereços vasculhados pela Polícia Federal.

A PF chegou à deputada a partir do material apreendido na primeira fase da Operação. As investigações analisaram conversas de WhatsApp do funcionário do Ministério do Trabalho, Renato Araújo Júnior, que foi preso na primeira fase.

Com base em tais informações, a Polícia Federal descobriu que foi a deputada quem indicou Renato Araújo Júnior para o cargo de chefia na pasta e controlava ainda a aprovação dos registros sindicais.