PGR defende prisão domiciliar e tornozeleira eletrônica para Roberto Jefferson

Ex-deputado teve a prisão preventiva, sem prazo estipulado, decretada no último dia 13 de agosto; defesa alega que presidente do PTB tem quadro de saúde delicado

  • Por Jovem Pan
  • 28/08/2021 13h33 - Atualizado em 28/08/2021 15h05
Valter Campanato/Agência BrasilRoberto Jefferson teve prisão decretada por ordem do ministro Alexandre de Moraes

A Procuradoria Geral da República (PGR) defendeu nesta sexta-feira, 27, no Supremo Tribunal Federal (STF) que o presidente do PTB, Roberto Jefferson, seja colocado em prisão domiciliar e monitorado com tornozeleira eletrônica. O ex-deputado teve a prisão preventiva, sem prazo estipulado, decretada no último dia 13 de agosto por ordem do ministro do STF Alexandre de Moraes. O magistrado atendeu a um pedido da Polícia Federal diante de supostas ameaças feitas pelo político às instituições e incitação à violência. A ordem foi dada dentro do chamado inquérito da milícia digital, que é uma continuidade do inquérito dos atos antidemocráticos. A defesa do ex-deputado argumenta que o quadro de saúde de Jefferson é delicado.

*Com informações do repórter Fernando Martins