Planalto entrega vídeo de reunião citada por Moro ao STF; ministros serão ouvidos

  • Por Jovem Pan
  • 09/05/2020 10h42 - Atualizado em 09/05/2020 10h54
Marcos Corrêa/PRO presidente Jair Bolsonaro

A Polícia Federal ouve na próxima semana, o depoimento de três ministros do Palácio do Planalto, a deputada Carla Zambelli e seis delegados, dentro do inquérito que investiga as acusações feitas pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro de que o presidente Jair Bolsonaro teria tentado interferir na PF.

A expectativa é de que os ministros da Casa Civil, Braga Neto, do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, Augusto Heleno, e da Secretaria de Governo, Eduardo Ramos, sejam ouvidos na próxima terça-feira (12). Alexandre Ramagem – quem o presidente ainda quer à frente da PF – também será ouvido.

Nesta sexta-feira (8), a Advocacia-Geral da União pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes que reconsiderasse a decisão de impedir a nomeação de Ramagem para a Polícia Federal. O ministro negou o pedido e arquivou o caso.

Entrega de vídeo

No processo que investiga a questão da interferência na Polícia Federal, a queda de braço do governo com o Supremo terminou na sexta-feira, quando o vídeo completo, sem qualquer edição, da reunião ministerial do dia 22 de abril foi entregue à Corte.

Um dos questionamentos do governo era exatamente a questão do sigilo. Celso de Mello abriu o sigilo da investigação, mas determinou o sigilo pontual do material entregue.

O presidente justificou a resistência em apresentar o vídeo ao afirmar que nele haveria informações de “segurança nacional”. Nos bastidores, comenta-se que o vídeo teria críticas de integrantes do governo ao próprio Supremo Tribunal Federal.

O vice presidente, Hamilton Mourão, tentou minimizar a polêmica e afirmou que o presidente já se preparava para atender ao pedido do STF. Ele ainda evitou comentar se acha correto ou não o presidente realizar um churrasco em meio às medidas de isolamento contra o avanço do coronavírus no país.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin