Plataforma ajuda na educação de crianças impactadas pela pandemia

Projeto Minha Escolinha Online oferece mais de 800 aulas gravadas para alunos de 2 a 8 anos

  • Por Jovem Pan
  • 23/09/2021 08h03 - Atualizado em 23/09/2021 10h50
DIRCEU PORTUGAL/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDODe forma lúdica, as atividades da plataforma estimulam o raciocínio e as habilidades socioemocionais dos pequenos

Pensando no impacto da educação causada pela pandemia, o empresário Janguiê Diniz criou uma plataforma de reforço para os alunos prejudicados com a suspensão das aulas pela Covid-19. O site Minha Escolinha Online atende de forma totalmente gratuita crianças de 2 a 8 anos de idade e conta com mais de 800 aulas gravadas, que podem ser acessadas até mesmo por estudantes de outros países. De forma lúdica, as atividades estimulam o raciocínio e as habilidades socioemocionais dos pequenos. Janguiê Diniz destaca que as aulas podem ser assistidas em qualquer lugar e horário e ressalta a importância de investir na educação desde a primeira infância. “É uma forma muito simples, muito tranquila que qualquer pai ou responsável pode entrar. A própria criança pode facilmente entrar, não tem dificuldade nenhuma ou burocracia nenhuma. Além de aprender, é como se ela tivesse jogando, porque as videoaulas são gamificadas, então a criança brinca e aprende todo o programa que aprenderia na escola.”

Karina é dona de casa e mãe do Kelvin, de 7 anos. Com a suspensão das aulas presenciais, ela percebeu um atraso no aprendizado do filho e por indicação aderiu à plataforma. Agora, ela conta que já percebe os sinais de melhora na educação do filho. “Tem mais conhecimentos, como ele não tinha, ele se desenvolveu bem”, relata. Atendendo inclusive alunos da rede particular, Janguiê Diniz não tem a intenção de tornar a plataforma paga nem mesmo fazê-la substituir o modelo tradicional de ensino. Segundo o empresário, o projeto visa reforçar o conteúdo e impulsionar o aluno na retomada das atividades escolares. Em São Paulo, o governo estima que serão necessários de 1 a 11 anos para recuperar o aprendizado em português e matemática na educação básica da rede pública. Segundo a secretaria de educação, o impacto da pandemia no setor trará reflexos significativos para as próximas gerações.

*Com informações da repórter Camila Yunes