Polícia aguarda laudo do IML para avançar investigação da morte de catador eletrocutado em SP

  • Por Jovem Pan
  • 10/01/2020 07h31
WILLIAN MOREIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOKaique era catador de material reciclável e tentava se proteger da chuva junto com um amigo em um ponto de ônibus

A Polícia Civil aguarda o resultado da perícia para avançar nas investigações sobre a morte de um homem eletrocutado durante o temporal que atingiu a cidade de São Paulo entre a noite de quarta e a madrugada desta quinta-feira (9).

Segundo o delegado responsável pelo caso, Ailton de Camargo Braga, somente com o laudo do IML sobre a causa da morte do morador de rua Kaique Moraes da Silva, de 22 anos, será possível entender como tudo ocorreu.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, Kaique estava na Avenida Rio Branco, no Centro de São Paulo, quando recebeu uma descarga elétrica ao subir em uma grade que fica ao lado de um poste de iluminação pública.

Kaique era catador de material reciclável e tentava se proteger da chuva junto com um amigo em um ponto de ônibus. Ao encostar na estrutura de metal que divide o canteiro central, os dois levaram um choque.

A Polícia Militar e três equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas para atender a ocorrência, mas Kaíque não resistiu e morreu no local. O amigo do catador não sofreu ferimentos.

Chuvas na cidade

Ao todo, entre a tarde de quarta-feira e a manhã de quinta-feira, os bombeiros atenderam 118 chamados de enchentes ou inundações, 89 quedas de árvores e 36 desabamentos.

O governador de São Paulo, João Doria, diz que o volume de chuva registrado foi “surpreendente” e ressaltou que todos os municípios atingidos receberão apoio.

A morte de Kaíque Moraes da Silva não foi a única durante os temporais na grande São Paulo. Roseli Guedes de Lima, de 38 anos, também morreu ao ser arrastada pela enxurrada em Ferraz de Vasconcelos.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini