Polícia continua investigações sobre distribuição de álcool em gel irregular

Segundo a polícia, a investigação ainda não está encerrada; outros estabelecimentos devem ser alvos de operações em breve

  • Por Jovem Pan
  • 14/08/2020 06h33 - Atualizado em 14/08/2020 08h20
Saulo Angelo/Futura Press/Estadão ConteúdoOs produtos adulterados possuem concentração de álcool etílico abaixo de 70% e não protegem as pessoas da Covid-19

A Polícia Civil concluiu mais uma etapa da investigação que pretende identificar esquemas de falsificação de álcool em gel em São Paulo. Os produtos adulterados possuem concentração de álcool etílico abaixo de 70%, diferentemente do que é anunciado, e não protegem as pessoas da Covid-19. O alvo desta quinta-feira, 13, foi uma indústria química de Guarulhos, na Grande São Paulo, que fornece insumos para a fabricação do álcool em gel.

A operação comprovou a ligação da Garden Química com empresas que comercializam o produto de forma adulterada.A Polícia Civil diz que a indústria alegou não saber que suas substâncias estavam sendo utilizadas para esse tipo de crime. Mesmo assim, o delegado Fábio Daré ressaltou que o responsável pelo local será detido. Segundo a polícia, outras irregularidades também foram encontradas dentro da fábrica, como produtos sem rótulo e substâncias vencidas e mal armazenadas.

O delegado explica que o trabalho de fiscalização começou no início da pandemia, há quatro meses. Na terça-feira, a corporação identificou e fechou uma fábrica em Diadema que vendia esses produtos. Fábio Daré ressalta que o químico responsável por fazer as adulterações no álcool em gel foi preso. De acordo com a polícia, a investigação ainda não está encerrada; outros estabelecimentos do tipo devem ser alvos de operações em breve.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini