Prefeitura do Rio investiga casos de revacinação contra Covid-19

Chamados ‘sommeliers’ acreditam que os novos imunizantes que passaram a fazer parte do portfólio do PNI seriam mais eficazes na proteção e, por isso, voltam para receber a dose de outro laboratório

  • Por Jovem Pan
  • 26/06/2021 11h09 - Atualizado em 26/06/2021 15h00
JOAO GABRIEL ALVES/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO - 20/06/2021 Rio de Janeiro já imunizou mais de 2,8 milhões com, pelo menos, uma dose da vacina

Surgiu mais um esquema para tentar fraudar a campanha de vacinação contra a Covid-19 no Rio de Janeiro. De acordo com a prefeitura do Rio, que já encaminhou essa denúncia ao Ministério Público, muitas pessoas que já tomaram a primeira dose de uma determinada vacina estão voltando aos postos de imunização alegando que não receberam a primeira aplicação. Seria uma espécie de “sommelier”, que entende que os novos imunizantes que passaram a fazer parte do portfólio do Programa Nacional de Imunização (PNI) seriam mais eficazes na proteção contra a doença. “Vamos ouvir a ciência. Quem está tomando a vacina acredita na ciência, né? Está querendo se proteger, querendo se preservar. Então, se acredita na ciência, faça o favor: Tome qualquer vacina. Todas elas salvam vidas”, disse o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes. No início da campanha de vacinação, a preocupação era com os chamados fura-filas e, especificamente no Rio de Janeiro, a chamada “vacina de vento”. A cidade já imunizou mais de 2,8 milhões com, pelo menos, uma dose da vacina contra Covid-19. Quase 1 milhão de pessoas já tomaram as duas doses. A meta continua sendo vacinar todos os adultos até o final de agosto e começar a imunização de adolescentes a partir do mês de setembro.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga