Presidente do Patriota afirma que Bolsonaro deve dar resposta sobre filiação em até 15 dias

Segundo Adilson Barroso, única exigência de Bolsonaro é que colegas de legenda não usem nome dele para se eleger e fazer palanque contra boas pautas dele no futuro

  • Por Jovem Pan
  • 04/06/2021 09h59 - Atualizado em 04/06/2021 11h33
Marcos Corrêa/PRPresidente nacional do Patriota falou sobre convite de filiação de Bolsonaro

Entrevistado pelo “Jornal da Manhã“, da Jovem Pan, desta sexta-feira, 4, o presidente do Patriota, Adilson Barroso, falou sobre o convite de filiação a Jair Bolsonaro e as expectativas do presidente para entrar na legenda. Segundo ele, há uma grande possibilidade de que o presidente se filie, já que o filho dele, senador Flávio Bolsonaro, já faz parte do partido e será líder no Senado. “O Patriota tem a característica dele, até o nome foi ele que deu. Em 2017 trocamos o nosso nome, adequamos o estatuto para poder recebê-lo. Um grupo dele, liderado pelo Bebianno, acabou levando ele para o Social Liberal, mas ele viu que nada tinha contra nós”, recordou. Segundo ele, após se reunir oficialmente com Bolsonaro e Flávio para formalizar o convite, o presidente informou que sentaria com aliados para discutir a possibilidade e não pegar ninguém de surpresa. “Fiz o convite, como tinha prometido em convenção, e ele ficou de nos dar uma resposta em 15 dias mais ou menos”, afirmou.

Questionado sobre as discordâncias internas da vinda dos Bolsonaro para o partido, Barroso afirmou que o espaço do Patriota é democrático e o voto da maioria foi responsável pela decisão de fazer o convite ao presidente. “Graças a Deus a maioria compreendeu a necessidade de fazer o partido crescer e ajudar essa nação”, disse. Segundo ele, o único pedido de Bolsonaro foi o alinhamento de ideias com outros membros do partido caso ele diga “sim”. “Uma das exigências dele é que não deixemos alguém entrar no partido, usar o nome dele, ganhar a eleição e depois usar o palanque do poder legislativo ou do Congresso Nacional para ficar contrapondo terrivelmente os projetos bons que ele tem para o país”, afirmou. Para manter o alinhamento com as ideias do presidente, logo após a convenção nacional que anunciou a filiação de Flávio Bolsonaro, o Patriota expulsou um vereador da cidade de Belo Horizonte, Gabriel Azevedo, justificando as críticas feitas por ele contra o presidente na Câmara Municipal.

No aguardo da resposta, o Patriota lembra que não só Jair e Flávio, mas o “time completo” dos filhos Bolsonaro são bem-vindos à legenda, que segundo Barroso está completamente adequada com as ideias conservadoras do atual presidente da República. “A chance é muito grande do presidente estar conosco, estou aguardando a resposta dele e a porta está aberta para ele e todos os aliados dele”, finalizou. Jair Bolsonaro está sem partido desde novembro de 2019, quando anunciou a saída do PSL e a criação de uma nova legenda chamada “Aliança Pelo Brasil”. Pouco mais de um ano depois, o projeto foi deixado de lado e Bolsonaro sinalizou que negociaria com partidos já existentes no ano de 2021.