Presidente do Peru é gravado pedindo para assessores mentirem em inquérito

A investigação apura relação entre Martín Vizcarra e um ex- colaborador investigado por contratos irregulares

  • Por Jovem Pan
  • 11/09/2020 05h54 - Atualizado em 11/09/2020 07h34
EFE/Ernesto AriasVizcarra se pronunciou sobre o ocorrido afirmando que a apresentação do áudio ocorreu de forma ilegal e garantiu que não irá renunciar ao cargo

O presidente do Peru, Martín Vizcarra, teve áudios vazados no Congresso em que ele pede a assessores que mintam em um inquérito parlamentar. A investigação apura relação entre o presidente e um ex- colaborador investigado por contratos irregulares. A transmissão dos áudios durante a sessão do Parlamento fez com que o presidente do Congresso peruano convocasse uma reunião para avaliar a possibilidade de destituição de Vizcarra por incapacidade moral. Na gravação, o presidente diz “primeiro você tem que ver o que é, depois o que vai ser dito”. Em seguida, ele pede para mentirem a quantidade de vezes que o ex-assessor investigado, Richard Cisneros, foi ao Palácio do Governo, frisando: “é preciso dizer que ele entrou duas vezes”.

As assessoras Miriam Morales e Karem Roca também participaram do diálogo e afirmaram, na conversa, que o ex-colaborador foi até cinco vezes ao Palácio. Vizcarra se pronunciou sobre o ocorrido afirmando que a apresentação do áudio ocorreu de forma ilegal e garantiu que não irá renunciar ao cargo. A divulgação da conversa ocorre em um momento delicado de disputas entre Executivo e Legislativo pela aprovação de uma reforma apresentada pelo governo.

*Com informações da repórter Camila Yunes