Programa para uso do hidrogênio será anunciado em 60 dias, diz ministro

Bento Albuquerque falou sobre forma de liberar energia sem emitir gases poluentes durante 12ª Reunião Ministerial de Energia Limpa

  • Por Jovem Pan
  • 04/06/2021 10h54 - Atualizado em 04/06/2021 11h31
Alan Santos/PRMinistro falou sobre tema em reunião internacional

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou nesta quinta-feira, 4, que o governo pretende anunciar em 60 dias um programa nacional para o uso de hidrogênio, capaz de liberar energia sem emitir gases poluentes. A tecnologia está se tornando uma aposta mundial para substituir os combustíveis fósseis, que intensificam a mudança climática. A iniciativa do governo pretende descarbonizar a matriz energética brasileira através de um programa de pesquisa e investimento da fonte de energia. Em discurso na 12ª Reunião Ministerial de Energia Limpa, que congrega 29 países e a Comissão Europeia, Albuquerque afirmou que os novos esforços se somam ao trabalho que já vem sendo realizado pelo Brasil para o desenvolvimento em energia limpa.

Falando em inglês, o ministro também mencionou o programa “Combustível Para o Futuro”, que procura ampliar o uso de combustíveis sustentáveis no país. Recentemente, o Brasil aderiu a linha de trabalho dedicada em aumentar a expansão da energia nuclear como fonte limpa, que contribui para a mitigação da mudança do clima. O sócio do Centro Brasileiro de Infraestrutura, Pedro Rodrigues, ressaltou a importância das iniciativas, mas avalia que os desafios serão grandes. “Vários países do mundo estão estudando maneiras mais baratas de produzir hidrogênio, principalmente hidrogênio verde, que é feito através da eletrólise da água via energias renováveis. Além disso, como transportar e armazenar esse hidrogênio. Isso é uma grande dificuldade ainda, a tecnologia precisa evoluir”, afirmou. Ainda segundo Rodrigues, o hidrogênio é uma tecnologia em desenvolvimento e futuramente a tendência é que ela seja utilizada para suprir a intermitência das energias renováveis solares e eólicas.

*Com informações da repórter Caterina Achutti