Projeto quer auxiliar pessoas em situação de rua com ajuda do mercado financeiro

Em 2022, a associação pretende captar R$ 1 bilhão em investimentos e reverter em R$ 10 milhões para pessoas carentes

  • Por Jovem Pan
  • 23/12/2021 09h12 - Atualizado em 23/12/2021 15h04
LEANDRO FERREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO Com cobertores finos, moradores de rua se enfileiram nas ruas de Campinas para se proteger do frio Projeto filantrópico que promove a capacitação de pessoas de ruas, pretende ampliar ainda mais os trabalhos

Os impactos econômicos da pandemia são perceptíveis. A quantidade de pessoas morando nas ruas da capital paulista tem aumentado significativamente nos últimos tempos. Diante desse cenário, a Associação de Resgate à Cidadania por Amor à Humanidade (Arcah), projeto filantrópico que promove a capacitação de pessoas de ruas, pretende ampliar ainda mais os trabalhos. Com auxílio de profissionais capacitados, o projeto faz a abordagem nas ruas, o acolhimento e promove a capacitação dessa população, para que elas possam ter uma renda própria e até uma moradia. Boa parte dessas pessoas trabalham nas hortas comunitárias, com produções orgânicas, como explica o presidente da Arcah Filipe Sabará. “Temos uma equipe qualificada de psicólogos, educadores, assistentes sociais que abordam pessoas nas ruas e em albergues e convencem as pessoas a fazerem a qualificação. Nós treinamos eles por quinze semanas em educação financeira, educação digital, educação socioemocional, psicológica, cuidamos dos dentes, dos olhos, fazemos todo um tratamento durante 15 semanas qualificando para as hortas, mas também para outras empregas. Temos mais de 190 empresas parceiras.”

Com o Natal chegando, a associação pretende impulsionar ainda mais o auxilio e quer colocar o mercado financeiro para estimular a ação, através de investimentos. A ideia é simples: a pessoa realiza o investimento em um fundo, fica com a rentabilidade da aplicação e a taxa que iria para o banco e administradora, vai para o projeto social. Em 2022, a associação pretende captar R$ 1 bilhão em investimentos e reverter em R$ 10 milhões, com taxa de 1% da administração, para pessoas carentes. Filipe Sabará considera a iniciativa privada como fundamental para auxiliar questões que o Estado não consegue abranger. “Qualificação e emprego, depois a moradia que a pessoa acaba conquistando com o próprio salário, é o setor privado que prevê. É uma maneira liberal com uma ferramenta incrível para resolver um problema que todos nós temos, inclusive mundial”, comenta. Para quem quer investir no fundo é só entrar no site arcah.org/investimento. “Já cai em um especialista, você investe e em cinco minutos você está colocando seus recursos nos melhores fundos e a taxa de administração vai acolher pessoas das ruas.”

*Com informações da repórter Camila Yunes