Receio de pais, alunos e especialistas torna mais incerta volta às aulas

Quando forem liberadas as aulas presenciais, os pais terão a opção de manter o ensino remoto dos filhos sem prejuízos ao ano letivo

  • Por Jovem Pan
  • 03/08/2020 07h26 - Atualizado em 03/08/2020 08h34
EFE/EPA/FELIPE TRUEBAA prefeitura não vai penalizar nenhuma família que mantenha os estudantes na residência

Ainda sem definição de data para o retorno das aulas presenciais, a prefeitura da capital paulista aguarda o posicionamento das autoridades ligadas da saúde para garantir que os alunos possam frequentar com segurança os estabelecimentos de ensino. O prefeito de São Paulo, Bruno Covas lembra que as crianças matriculadas na rede municipal tem direito ao cartão merenda, mas precisam estar cadastradas para receber o benefício que varia de R$ 55 a R$101. “Eles terão até o dia nove de agosto para poder fazer esse cadastro, o cartão será enviado para as escolas desses alunos, que entrarão em contato com família para que eles possam retirar os cartões”, explica o prefeito.

Quando forem liberadas as aulas presenciais, uma novidade à vista. Segundo a presidente do Conselho Municipal de Educação de SP, Rose Neubauer, os pais que não se sentirem seguros em mandarem seus filhos para as aulas presenciais, poderão ter a possibilidade de mantê-los em suas casas no modelo atual, sem prejuízo do ano letivo. “Vai possibilitar aos pais mandar os seus filhos para as escolas, para terem aulas presenciais, ou continuar recebendo o ensino remoto como elas estão recebendo atualmente”, explica. A prefeitura não vai penalizar nenhuma família que mantenha os estudantes na residência. Os alunos receberão ainda a segunda edição dos cadernos para aprendizagem remota.

*Com informações do repórter Daniel Lian