Reino Unido vacina 845 mil pessoas contra Covid-19 em um dia e bate recorde

Boris Johnson comemorou a marca, que mantém o país em curso na meta de imunizar toda a população adulta até julho

  • Por Jovem Pan
  • 22/03/2021 09h06
LUCAS LACAZ RUIZ/ESTADÃO CONTEÚDO - 27/01/2021Programa corre alguns riscos no meio do caminho -- entre eles a ameaça de bloqueio de exportações da União Europeia

O Reino Unido atingiu neste final de semana um novo recorde local de vacinas aplicadas contra a Covid-19 em apenas um dia. Foram quase 845 mil doses distribuídas no sábado, 20, de acordo com o que confirmou ontem o primeiro-ministro conservador, Boris Johnson. O líder britânico comemorou a marca, que mantém o país em curso na meta de imunizar toda a população adulta até julho. Mas o programa corre alguns riscos no meio do caminho — entre eles a ameaça de bloqueio de exportações da União Europeia.

O bloco, que segue muito atrás do Reino Unido na aplicação de vacinas contra o Covid-19, elevou o tom mais uma vez. A presidente da comissão europeia, Ursula von der Leyen, tem liderado as manifestações neste sentido. No domingo, 21, ela ressaltou que as fábricas europeias exportaram quase 10 milhões de vacinas para os britânicos nas últimas seis semanas. E como faltam doses para o mercado interno, a pressão para um bloqueio da venda para o exterior está cada vez maior.

Boris Johnson deve entrar em contato por telefone com seus colegas do outro lado do Canal da Mancha para tentar impedir que isso aconteça. O Reino Unido, embora tenha produção própria da vacina da AstraZeneca, está importando insumos e doses prontas para acelerar sua campanha. Além da União Europeia, o governo de Londres também enfrenta dificuldades com a importação de doses da Índia. O Instituto Serum, o mesmo que o Brasil também tem acesso e pode ter atrasos nas próximas semanas, já reteve entregas para o Reino Unido. Cinco milhões de doses que deveriam ser entregues até o fim do mês não irão chegar neste momento.

Por conta disso, a expectativa é de que abril seja dedicado para a aplicação de segundas doses na Grã Bretanha. Os conservadores britânicos negam que o atraso esteja ligado a um bloqueio oficial do governo indiano às exportações. Londres tentou minimizar os rumores de que uma ação política teria causado o atraso na entrega do Instituto Serum. De qualquer forma, as disputas diplomáticas pelo imunizante estão cada vez mais intensas, sobretudo nesta parte do mundo — o que indica muitas dificuldades pela frente para os países menos organizados e sem atuação diplomática intensa neste momento.