Resultado das pesquisas eleitorais será diferente após campanha na TV aberta, afirma Luciano Bivar

Para o pré-candidato à Presidência da República do União Brasil, é compreensível que Lula e Bolsonaro estejam disputando resultados polarizados nas estatísticas porque os demais concorrentes ainda não são conhecidos pelos eleitores

  • Por Jovem Pan
  • 27/06/2022 10h26 - Atualizado em 27/06/2022 10h39
Michel Jesus/ Câmara dos Deputados Luciano Bivar Luciano Bivar, presidente do União Brasil, é o pré-candidato do partido nas eleições à Presidência da República

O pré-candidato à Presidência da República Luciano Bivar (União-PE) afirmou acreditar que, após iniciarem as pesquisas eleitorais na TV aberta, os resultados das pesquisas de intenção de votos deverão ser alterados, já que o eleitorado poderá conhecer melhor outras opções além de Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que atualmente polarizam as prévias eleitorais. Bivar concedeu uma entrevista ao vivo para o Jornal da Manhã, da Jovem Pan News, nesta segunda-feira, 27 para falar sobre as eleições de 2022.

“Nós nos preocupamos é com o momento em que haverá canal aberto de televisão. É claro que todos os candidatos que tenham recall, um que esteve 13 anos no poder e outro que estava no poder, é absolutamente compreensível que eles estejam aparecendo nas pesquisas diferente dos outros candidatos. A não ser que tenham outros candidatos, como o candidato do PDT, que repetidas vezes já foi candidato à Presidência da República. No momento que, realmente, chegar o canal aberto e que nós apresentarmos as propostas, nós teremos, realmente, um posicionamento diferente do público, onde 65% na verdade não nos conhece”, afirmou Bivar.

Questionado sobre as propostas do União Brasil para o país, o pré-candidato defendeu como principal coluna a proposta de simplificação tributária. “Eu acho que a proposta central nossa [do União Brasil] não deixa de ser a parte econômica, porque o que a gente quer evitar no Brasil é diminuir a desigualdade social. E o aspecto econômico, a gente tem a nossa proposta perfeita, acabada, totalmente estudada, que é a simplificação tributária, que é o imposto único. Esse imposto único vai ser realmente o grande alavancador da economia brasileira e destravar o país. A gente não pode viver em um sistema analógico, um sistema anacrônico”, disse.

Já sobre a possibilidade do partido apoiar Fernando Haddad (PT) para o governo de São Paulo, Bivar foi escorregadio e não se posicionou, mas disse que o partido busca uma candidatura própria no Estado ou apoiar um candidato que concorde com os ideiais liberais do União Brasil: “O que aconteceu aqui em São Paulo foi que nós estávamos apoiando a candidatura do atual governador, Rodrigo Garcia, que é do PSDB, e não sei porque cargas d’água o PSDB saiu do União Brasil. No momento em que ele sai do União Brasil, nós não temos outra candidatura. Nós pretendemos, talvez, já ter candidato próprio do partido ou apoiar um outro candidato que venha coincidir com os princípios econômicos e democráticos do União Brasil”.