Retomada esbarra em falta de infraestrutura, dizem empresários

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2020 10h14
CC Creative CommonsO grupo empresarial que esteve em Dubai espera que a Expo 2020 possa contribuir para o incremento do fluxo comercial

Empresários tem confiança no crescimento da economia no ano de 2020. Durante uma missão aos Emirados Árabes, a perspectiva é de abrir novos horizontes. O presidente da Abimaq, José Velloso, indica que 12% das exportações da indústria de transformação são procedentes de máquinas, equipamentos e bens de capital.

No entanto, ele destaca que ainda há muito o que fazer. “O Brasil ainda falta condições ideais para epxortação. Embora epxortemos bastante, não oferecemos crédito, segundo, logística eficiente. Não existe estratégia.”

O presidente da Unica, a União da Indústria de Cana-de-Açúcar, Evandro Grussi, engrossa o coro daqueles que acham que um grande passo foi dado. Porém, acrescente que há uma longa estrada a ser percorrer. “A aprovação da reforma da Previdência no ano passado foi determinante, perspectivas de racionalização do sistema tributário.”

Já o presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo, Tayguara Helou, enfatiza que o Brasil precisa se desburocratizar. “Há um excesso de restrições, há uma total despadronização, excesso de problemas com locais de cargas e descargas. Seria necessário uma revisão geral.”

O setor calçadista aponta que o intercâmbio nos Emirados Árabes vai propiciar um novo pensamento sobre os negócios. É o sentimento do empresário Ricardo Gracia.

“A gente enxerga isso como uma oportunidade de venda real, onde a gente consegue realmente desenvolver esse mercado e também usar os Emirados como um exemplo para o mundo.”

O grupo empresarial que esteve em Dubai espera que a Expo 2020 possa contribuir para o incremento do fluxo comercial.

*Com informações do repórter Daniel Lian