Reunião do G7 tem expectativa sobre estabelecimento de imposto global mínimo

Esta é a primeira vez desde o início da pandemia na qual autoridades de finanças das sete principais potências mundiais se reúnem pessoalmente

  • Por Jovem Pan
  • 06/06/2021 10h20
EFE/EPA/ANDY RAINMinistros de finanças se reuniram pessoalmente pela primeira vez

Os ministros das Finanças do G7 iniciaram, nesta sexta-feira, 4, reuniões em Londres com um acordo “à vista”, segundo as principais economias europeias, sobre o estabelecimento de um imposto global mínimo para as grandes multinacionais, com o aval dos Estados Unidos. Esta é a primeira vez, desde o início da pandemia, que as autoridades das Finanças das sete principais economias mundiais se encontram pessoalmente, a uma semana da cúpula de chefes de Estado e de Governo do G7 no sudoeste da Inglaterra. O chanceler do Tesouro do Reino Unido, Rishi Sunak, disse na abertura do encontro no centro da capital britânica que há uma grande expectativa para um acordo. Segundo ele, “em uma economia complexa, global e digital, não dá pra continuar a depender de um sistema tributário amplamente projetado na década de 1920″. A questão de um imposto mínimo global sobre as sociedades, o “pilar” de uma vasta reforma tributária conduzida pela OCDE, terá um lugar de destaque na agenda, com a possibilidade de tributar os lucros das grandes multinacionais – particularmente, as gigantes digitais – no país em que elas fazem seus lucros, não apenas onde suas matrizes estão registradas. Os ministros das Finanças das quatro maiores economias da União Europeia – Alemanha, França, Itália e Espanha, que não integra o G7 – vão defender uma posição comum sobre o assunto.

*Com informações do repórter Victor Moraes