Sabatina de Kavanaugh no Senado dos EUA divide reações entre democratas e republicanos

  • Por Jovem Pan
  • 11/07/2018 06h48 - Atualizado em 11/07/2018 07h20
EFEBrett Kavanaugh foi indicado por Trump para substituir Anthony Kennedy, que vai se aposentar

A votação de Brett Kavanaugh no Senado para a vaga na Suprema Corte americana promete ser uma das mais disputadas na história. O juiz da corte de apelações do Distrito de Columbia foi indicado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na última segunda-feira (09).

Tido como conservador, o magistrado já é alvo de grupos ativistas que temem que a nova composição do tribunal reverta decisões históricas do colegiado.

O líder da minoria no Senado, o democrata Chuck Schumer, disse que poderá convencer governistas a votar contra Kavanaugh para evitar possíveis mudanças em leis sobre aborto e saúde pública.

O líder da maioria no Senado americano respondeu na mesma moeda, dizendo que essas suposições são alarmistas.

O republicano Mitch McConnell afirmou que essa linha de pensamento insulta a inteligência do povo americano.

A coordenadora do curso de Relações Internacionais da Faap explicou que os Democratas vão tentar retardar ao máximo a sabatina de Kavanaugh. Fernanda Magnotta disse que o melhor cenário para a oposição é atrasar o processo até novembro, quando a configuração do parlamento pode mudar: “demcratas devem tentar retardar o máximo possível para tentar fazer com que aconteça a eleição de meio de mandato e assim, quem sabe, a reconfiguração das casas favoreça os democratas”.

Brett Kavanaugh foi indicado por Trump para substituir Anthony Kennedy, que vai se aposentar. A Suprema Corte americana tem nove juízes que são nomeados para mandatos vitalícios.

*Informações do repórter Tiago Muniz