Salles: Características de óleo dificultam remoção

  • Por Jovem Pan
  • 12/10/2019 08h55
Jovem PanMinistro disse que o mês de setembro registrou o menor número de queimada dos últimos seis anos na Amazônia

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, reafirmou, nesta sexta-feira (11), que o petróleo encontrado em praias do Nordeste é venezuelano e disse que trabalha para determinar como o material chegou ao litoral brasileiro. Em entrevista ao programa Pra Cima Deles, da Jovem Pan, ele explicou que não descarta nenhuma hipótese – nem mesmo a de um vazamento proposital.

O ministro esclareceu que acionou órgãos nacionais e internacionais e vem tomando medidas desde o surgimento das manchas, em setembro. Salles ressaltou que as características do óleo dificultam o trabalho das autoridades.

“A contenção desse óleo ela é bastante mais difícil, nesse caso, do que em casos de vazamento determinado. Então quando você sabe de uma plataforma que afundou, um navio que teve vazamento, casos determinados, você cerca e tem um procedimento próprio. Este é um incidente de origem indeterminada por enquanto”, explicou.

Amazônia

Ele afirmou, ainda, que setembro registrou o menor número de queimada dos últimos seis anos na Amazônia. Segundo o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), no entanto, a devastação florestal aumentou 96% em relação ao mesmo mês do ano passado.

De acordo com Salles, a maior preocupação, agora, é conter atividades clandestinas na região. “A melhoria do nível de desenvolvimento econômico sustentável para aquela região. E se você não dá oportunidade para as pessoas terem atividades compatíveis com a preservação ambiental, com a sustentabilidade, se você não cria esse ambiente favorável, a atração do investimento privado, geração do emprego e da renda, você joga essas pessoas para a ilegalidade.”

Salles garantiu que ainda conversa com a Noruega sobre o retorno dos repasses ao Fundo Amazônia, suspensos há quase 2 meses. Ele afirmou que os dois países concordaram em mudar alguns pontos da gestão do recursos, ampliando a transparência. “E nós temos também esse compromisso de continuar tendo, portanto, se isso se confirmar, de retomar as atividades nessa lógica de investimentos, recursos que gerem resultados e que possam ter a mensuração do efeito desse investimento.”

*Com informações da repórter Nanny Cox