Situação crítica de represa de Jurumirim mobiliza vereadores de SP

  • Por Jovem Pan
  • 22/10/2019 08h30
Cláudio Nascimento/TV TEMRepresa está com níveis preocupantes

Parlamentares das Câmaras de Vereadores de Avaré e região colocaram, em suas pautas, a situação do baixo nível das águas na represa de Jurumirim, que cobre mais de dezmunicípios na área. De acordo com os políticos e a população,  o principal problema é a CTG Brasil, concessionária que administra o local. Como se trata de um dos principais pólos turísticos do Estado, já há mobilização para que haja uma solução rápida, porque os prejuízos são imensuráveis.

O vereador de Arandu, Djalma Rodrigues (PR), por exemplo, aponta que o panorama é insustentável e afirma que vai questionar a CTG Brasil. Segundo Djalma, mesmo assim, se nada for feito, ele pretende acionar o Ministério Público.

“O motivo do meu repúdio é pela forma com que ela vem tratando a nossa represa, deixando com que seus níveis chegassem onde estão, ou seja, muito baixos, trazendo transtornos para os loteamentos, casas de campo e hotéis, que vivem da exploração do turismo. Estarei apresentando um requerimento para que seja oficiado para a empresa CTG e para a Aneel [Agência Nacional de Energia Elétrica], solicitando informações e providências para que o nível da água volte ao normal”, disse.

Já o vereador Toninho da Lorsa, (PSDB-Avaré), ressaltou que a perturbação é recorrente. “A represa de Jurumirim é de extrema importância para a nossa região, principalmente na área de turismo. No início do ano, já tivemos um problema, fizemos uma nota de repúdio para a CTG e fomos atendidos: os níveis subiram. Agora, estamos enfrentando novamente esse problema.”

 *Com informações do repórter Daniel Lian