SP: Prefeitura adia prazo para cadastro obrigatório do lixo por empresas

  • Por Jovem Pan
  • 10/09/2019 08h25 - Atualizado em 10/09/2019 10h10
Carolina Ercolin/Jovem PanCerca de 380 mil empresas – entre micro, médio e grande porte – deveriam se inscrever na página da Amlurb até o fim da última segunda (9)

Diante do congestionamento do site da Amlurb e das reclamações dos empresários por conta da falta de divulgação da exigência, a Prefeitura de São Paulo prorrogou o cadastramento do lixo para o dia 31 de outubro de 2019. Cerca de 380 mil empresas – entre micro, médio e grande porte – deveriam se inscrever na página da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana até o fim da última segunda-feira (9).

O cadastramento anual custa R$ 228, pagos somente pelos grandes geradores de resíduos sólidos, ou seja, empresas que produzem mais de 200 litros de lixo diariamente. Para os demais estabelecimentos não existem cobranças ou multas pelo não cadastramento.

O vereador Caio Miranda (PSB) protocolou um projeto na Câmara para suspender o cadastro de ME e MEI. “Se a Prefeitura quer fazer um programa melhor, tem que fazer uma grande campanha. E eles tem que explicar também o que será feito com os dados fornecidos.”

A questão dos dados também chama a atenção dos empresários porque o site, www.ctre.com.br, não é um domínio da Prefeitura de São Paulo.

Entre as informações pedidas para o cadastramento estão CNPJ, IPTU e outros dados como o consumo de energia, além da declaração de volume e massa de resíduos sólidos.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos