SP: Queda de avião reacende polêmica sobre futuro do Campo de Marte

O governador de São Paulo, João Doria, pretende transformar o local em um parque e manifestou pedido para o encerramento das atividades com aviões

  • 10/07/2020 06h41 - Atualizado em 10/07/2020 08h01
Wikimedia CommonsO presidente do Fórum Brasileiro para o Desenvolvimento da Aviação Civil, Decio Corrêa diz que o equipamento é imprescindível para o país

O Cenipa, Centro de investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos já apura as causas da queda do avião bimotor que caiu na avenida Brás Leme, na zona Norte da capital paulista, na quarta-feira (8) após apresentar problemas. O piloto, único ocupante da aeronave e que faleceu no acidente, havia comunicado ao controle aéreo uma pane e solicitado prioridade para efetuar um pouso de emergência no Campo de Marte.

A fatalidade levou à tona novamente a polêmica sobre as operações no local. Após a ocorrência o governador de São Paulo, João Doria que pretende ver o lugar se transformar em um parque, se manifestou através das redes sociais pedindo o encerramento das atividades com aviões e defendendo a manutenção apenas dos pousos e decolagens de helicópteros. O tucano se solidarizou com os familiares do piloto.

Já o presidente do Fórum Brasileiro para o Desenvolvimento da Aviação Civil, Decio Corrêa vai na direção contrária dizendo que o equipamento é imprescindível para o país. O fato é que o Campo de Marte volta a ser o centro das atenções e continua disputado pelas esferas governamentais, comunidade aeronáutica e por quem vive em seu entorno.

*Com informações do repórter Daniel Lian