SP tem rodízio suspenso, metrô paralisado e trânsito caótico

  • Por Jovem Pan com Estadão Conteúdo
  • 15/03/2017 08h10
SP - TRÂNSITO/RADIAL LESTE - GERAL - Trânsito intenso na Avenida Radial Leste, próximo a Estação Corinthians-Itaquera do Metrô, Linha 3-Vermelha, na Zona Leste de São Paulo (SP), na manhã desta quarta-feira (15). Terminais de ônibus estão fechados e ônibus não circulam na capital. O Metrô amanheceu parado, mas aos poucos volta a funcionar. As paralisações são devido ao Dia Nacional de Mobilização contra a reforma da previdência e reforma trabalhista. 15/03/2017 - Foto: PETER LEONE/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOTrânsito já estava muito congestionado desde Itaquera

São Paulo amanheceu caótica com a paralisação do metrô e de ônibus que integra o dia nacional de mobilização contra a reforma da Previdência. O rodízio foi suspenso, a circulação de carros nas faixas exclusivas de ônibus, permitida, e as ruas lotadas de pessoas que buscavam alternativas para chegar ao trabalho, seja com o carro particular, seja com táxis ou outros meios de transporte por aplicativo.

O estacionamento em vagas de zona azul também está liberado durante toda esta quarta-feira (15).

O índice oficial da CET registrava 196 km de congestionamento às 9h50, recorde para o ano (veja o índice atualizado AQUI). Veja como estava a situação das ruas paulistanas nesse horário:

Os secretários estadual e municipal de transportes prometeram cobrar as multas previstas por liminares judiciais:

A cidade também enfrenta protestos que paralisa o trânsito em diversos pontos. Uma grande manifestação está prevista para as 16h na Avenida Paulista.

Após amanhecer totalmente paralisado, o metrô começou a funcionar parcialmente, Veja as estações que estavam abertas às 6h25:

Linha-Azul: entre as estações Ana Rosa e Luz – integração com as linhas 2-Verde em Ana Rosa e Paraíso, 3-Vermelha em Sé, e 4-Amarela, 7-Rubi (CPTM) e 11-Coral (CPTM) em Luz;

Linha 2-Verde: entre as estações Ana Rosa e Clínicas – integração com as linhas 1-Azul em Ana Rosa e Paraíso, e 4-Amarela em Consolação;

Linha 3-Vermelha: entre as estações Marechal Deodoro e Bresser/Mooca – integração com as linhas 1-Azul em Sé, 4-Amarela em República, e 7-Rubi (CPTM), 10-Turquesa (CPTM), 11-Coral (CPTM) e 12-Safira (CPTM) em Brás;

Linha 5-Lilás: em toda extensão entre Capão Redondo e Adolfo Pinheiro – integração com a linha 9-Esmeralda (CPTM) em Santo Amaro.

Linha 15-Prata continua paralisada
Linha 4-Amarela – normal
CPTM – normal

Acompanhe as informações ao vivo no Jornal da Manhã:

Os protestos são organizados pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, ligadas à Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Manifestantes também bloqueiam rodovias e avenidas em protesto. A Rodovia Presidente Dutra tinha, às 7h, bloqueio da pista principal por manifestantes em Taubaté, na altura do quilômetro 117, no sentido São Paulo. Um grupo ocupava, por vota das 7h15, parte da Avenida das Nações Unidas, na zona sul da capital paulista.

Veja abaixo a situação do transporte público nas principais cidades do País:

São Paulo

As linhas 1-azul, 2-verde, 3-vermelha, 5-lilás e 15-prata não operam o dia todo. A linha 4-amarela, concedida à ViaQuatro, trabalha normalmente, assim como os trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Grande parte dos ônibus está paralisada desde a meia-noite e somente volta a circular às 8h.

O rodízio municipal de veículos de passeio está suspenso. Faixas exclusivas de ônibus poderão ser utilizadas por táxis e fretados com ou sem passageiros durante todo o dia. Os motoristas não precisarão pagar as taxas da zona azul até o final do dia.

Rio de Janeiro

O metrô da capital fluminense opera normalmente. Já os ônibus, segundo o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus do Rio de Janeiro, não circulam o dia todo.

Belo Horizonte

Na capital mineira, o metrô também não irá funcionar, descumprindo ordem judicial do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que estabelecia uma escala mínima de 80% nos horários de pico. Os ônibus circulam normalmente, mas o sindicato da categoria vai fazer um ato às 10h na região central de BH.

Brasília

O metrô e os ônibus funcionam normalmente. Os sindicatos das categorias convocaram para uma manifestação pela manhã, em frente à Catedral Metropolitana, na Esplanada dos Ministérios.

Curitiba

Os trabalhadores de transportes rodoviários da capital paranaense também aderiram ao ato nacional. Após a paralisação desta quarta-feira, eles prometem seguir em greve geral pela campanha salarial deste ano. Há um ato previsto para ocorrer a partir das 10h em frente à Assembleia Legislativa do Paraná, juntamente com centrais sindicais de funcionários públicos.

Porto Alegre

Em Porto Alegre, não há previsão de paralisações no sistema de transporte público. O Sindicato dos Rodoviários não aderiu ao movimento, mas admite que motoristas e cobradores podem realizar protestos isolados. Os metroviários apenas distribuem panfletos para informar os passageiros sobre as reivindicações trabalhistas.

Servidores municipais organizam protestos que podem bloquear quatro pontos da capital gaúcha durante a manhã. Já os agentes da segurança pública se concentram em frente à sede do governo estadual. Um ato unificado contra as reformas previdenciária e trabalhista está previsto para as 17h, no Centro Histórico, conforme a Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Rio Grande do Sul.

Os professores estaduais devem suspender aulas em grande parte das escolas públicas em todo o Estado, segundo orientação do sindicato da categoria.

Recife

Os metroviários da capital pernambucana cruzam os braços o dia todo.