STJ mantém Adélio em presídio federal de Campo Grande

Adélio cumpre medida de segurança de internação por prazo indeterminado desde setembro de 2018

  • Por Jovem Pan
  • 13/08/2020 06h20 - Atualizado em 13/08/2020 08h20
Divulgação/Assessoria de Comunicação Organizacional do 2° BPMO STJ ainda argumenta que “na falta de hospital de custódia e tratamento psiquiátrico, a medida de segurança a ele imposta tem sido cumprida em estabelecimento adequado"

O Superior Tribunal de Justiça decidiu, nesta quarta-feira, 12, que Adélio Bispo deve permanecer no presídio federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Adélio cumpre medida de segurança de internação por prazo indeterminado desde setembro de 2018, mês em que ocorreu o atentado a faca contra Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral. Segundo a corte, ele deve ficar no local “tendo em vista sua alta periculosidade”.  O STJ ainda argumenta que “na falta de hospital de custódia e tratamento psiquiátrico, a medida de segurança a ele imposta tem sido cumprida em estabelecimento adequado”.

O recurso havia sido feito pela 3ª Vara Federal de Juiz de Fora, que apontou a ausência de vagas no local indicado para receber Adélio, o hospital psiquiátrico de custódia Jorge Vaz, localizado em Barbacena, Minas Gerais. Em nota, a própria instituição admitiu estar com toda a capacidade ocupada. Na ocasião, a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais afirmou que “Adélio Bispo estará em uma lista de espera, quando houver a formalização do pedido, seguindo trâmites regulares”, o que ainda não ocorreu.

*Com informações da repórter Letícia Santini