TCU marca votação do edital do 5G para dia 18 de agosto; governo comemora

Proposta é que todas as capitais do país tenham acesso à internet de quinta geração até julho de 2022; segundo a Anatel, arrecadação pode chegar a R$ 40 bilhões

  • Por Jovem Pan
  • 15/07/2021 09h07 - Atualizado em 15/07/2021 17h23
EFE/EPA/ANDY RAINLeilão do 5G é considerado pela Anatel como a maior licitação de radiofrequências da história do Brasil

O leilão da banda 5G no Brasil não deve ocorrer antes de outubro. A proposta que foi aprovada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) está desde fevereiro em análise do Tribunal de Contas da União (TCU). Divergências entre a área técnica do tribunal, o governo federal e a Anatel teriam atrasado a avaliação. A presidente do TCU, Ana Arraes, marcou a votação do edital para o dia 18 de agosto. O governo pretende que todas as capitais do país tenham acesso à internet de quinta geração até julho de 2022, antes do fim do mandato do presidente Jair Bolsonaro. Segundo o ministro das Comunicações, Fábio Faria, algumas cidades podem ter a tecnologia disponível para testes no final do ano. “A obrigação do edital de colocar nas 27 capitais até julho do ano que vem está mantida, inclusive podemos ter até o final desse ano com 5G funcionando em algumas capitais, de acordo com feedback que recebi das empresas”, afirmou.

De acordo com o ministro, a expectativa é que a Anatel publique o edital em até 12 dias. “Após a votação do TCU, em até cinco dias o edital é encaminhado para a Anatel”, disse. Com isso, as operadoras de telefonia poderão dar os lances para arrematar as faixas de frequências e, em seguida, o leilão deve ser realizado, em um prazo de 30 a 45 dias. Fábio Faria afirmou que tecnologia vai aumentar a eficiência e competitividade do agronegócio. “O impacto é enorme, a estimativa é que o agronegócio tenha um crescimento do PIB em torno de 20% ao ano, porque toda a linha de produção estará conectada, se comunicará. Então vai aumentar a eficiência, vai ter mais economicidade. Nós precisamos urgentemente do 5G para que a gente possa ficar mais competitivo em relação a outros países”, disse. O leilão do 5G é considerado pela Anatel como a maior licitação de radiofrequências da história do Brasil. Segundo a agência, a arrecadação pode chegar a R$ 40 bilhões.

*Com informações da repórter Letícia Santini