Tereza Cristina descarta tabelar arroz e diz que maioria dos produtores preserva o meio ambiente

A alta acumulada de quase 20% irritou o presidente Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 18/09/2020 06h32 - Atualizado em 18/09/2020 08h49
ALEX SILVA/ESTADÃO CONTEÚDOTereza Cristina disse que a expectativa do ministério é terminar o ano com valor bruto da produção em torno de R$ 700 bilhões

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta quinta-feira (16), que o Ministério da Justiça poderia ter cobrado explicações sobre o aumento do preço do arroz de outra forma. A alta acumulada de quase 20% irritou o presidente Jair Bolsonaro e levou a Secretaria do Consumidor, vinculada à Justiça, a pedir esclarecimentos dos supermercados. Na semana passada, a Câmara de Comércio Exterior zerou o imposto de importação do grão. Em uma live promovida pelo jornal O Estado de São Paulo, a ministra Tereza Cristina se disse contrária à intervenção nos preços, mas defendeu a retirada da alíquota.

Nesta semana, uma coalizão formada por 230 ONGs e entidades do agronegócio enviaram ao governo federal seis propostas para deter o desmatamento na Amazônia. Tereza Cristina reforçou que o país tem uma boa legislação ambiental e a “maior parte dos produtores rurais” se preocupa com a preservação. Em um balanço do setor neste ano, Tereza Cristina disse que a expectativa do ministério é terminar o ano com valor bruto da produção em torno de R$ 700 bilhões.

*Com informações da repórter Nanny Cox