Três companhias aéreas aderem às propostas de apoio, diz BNDES

  • Por Jovem Pan
  • 16/05/2020 08h39
Arquivo/Agência BrasilNo curto prazo, também segundo Montezano, devem sair uma MP do governo federal e uma resolução da Aneel

O socorro bilionário para empresas de segmentos importantes da economia brasileiras — como aéreas, elétricas e montadoras de veículos — deve sai nos próximos dias.

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, anunciou nesta sexta-feira (15), em coletiva virtual sobre o resultados do 1º trimestre, lucro de R$ 5,5 bilhões — queda de 50% em relação ao mesmo período do ano passado.

As três principais companhias aéreas brasileiras, Latam, Gol e Azul aceitaram as condições financeiras de socorro que será feito pelo banco de fomento. Mas nem todas as companhias confirmaram até agora se vão acessar essa linha, que pode ter ate R$ 6 bilhões na mesa em oferta.

No curto prazo, também segundo Montezano, devem sair uma MP do governo federal e uma resolução da Aneel para as condições de ajuda ao setor elétrico brasileiro.

De acordo com fontes, essa ajuda será na ordem de R$ 12 bilhões e carência de um ano para que o montante seja pago até 2025. Metade desse dinheiro seria bancado pelos consumidores e a outra pelo Tesouro.

Passado esse momento de turbulência, o banco vai dar continuidade a sua estrategia de venda e participações societárias de ativos que tem na carteira da BNDESPar.

Para se ter uma ideia, segundo o banco, a perda nessa carteira de participações societárias entre o 4º trimestre de 2019 e o 1º trimestre de 2020 chegou a R$ 31 bilhões.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga