TSE lança nesta sexta campanha sobre a segurança do processo eleitoral

Proposta é esclarecer a transparência e auditabilidade do processo eleitoral; Câmara dos Deputados cria comissão especial para debater o voto impresso

  • Por Jovem Pan
  • 14/05/2021 09h32
Divulgação/TSEVídeo institucional foi produzido para esclarecer sobre as camadas de segurança da urna eletrônica, que completou 25 anos

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, apresenta nesta sexta-feira, 14, a nova campanha do TSE sobre a segurança, transparência e auditabilidade do processo eleitoral. Vídeo institucional foi produzido para esclarecer sobre as camadas de segurança da urna eletrônica, que completou 25 anos nesta quinta-feira. Na ocasião, o ministro afirmou que o equipamento garante eleições seguras e transparentes. “O Brasil tem muitos problemas que o processo democrático e a democracia ajudam a enfrentar e resolver. Um desses problemas não é a nossa urna eletrônica. A urna tem sido parete da solução assegrança um sistema íntegro e que tem permitido a alternâcia de poder sem que jamais tenha questionado de maneira documentada e efetiva a manifestação da vontade popular.”

Na mesma data de comemoração do aniversário da urna, a Câmara dos Deputados instalou comissão especial para discutir a pec que obriga a impressão de votos. A deputada federal Bia Kicis, autora da proposta, elogiou os equipamentos eletrônicos, mas diz que a impressão do voto trará libertação ao eleitor. “Mas nós temos que olhar para frente e nós temos a convicção de que por melhor seja o sistema, ele não é o melhor que a gente pode conseguir. Temos a Argentina, por exemplo, que possui urnas de terceira geração, enquanto o nosso sistema possui sistema de primeira geração. O nosso sistema permite uma eleição célere, uma eleição muito simplificada, mas ele não dá a devida segurança e transparência”, disse. O deputado Paulo Eduardo Martins (PSC) foi eleito presidente da comissão.

O presidente Jair Bolsonaro é defensor da medida e já falou várias vezes sobre fraudes nas eleições. Da mesma forma, o presidente da Câmara, Arthur Lira, é outro entusistas. Nesta quinta, ao lado do presidente em uma inauguração em Alagoas, ele defendeu o voto impresso. “A comissão na Câmara dos Deputados para que a gente possa votar no plenário e daí mandar para o Senado em tempo hábil para que as providências sejam tomadas e a voz da população seja ouvida. Nós queremos votar e queremos ter a certeza que esse voto é confirmado da maneira como a gente colocou”, afirmou. Bolsonaro agradeceu Lira e o chamou de “pai do voto impresso”, ao lado de Bia Kicis, a quem chamou de mãe do voto impresso.

*Com informações do repórter Fernando Martins