União Europeia enfrenta dificuldades para vacinar população contra a Covid-19

AstraZeneca deveria entregar 100 milhões de doses para os europeus até o final deste mês; compromisso foi revisto para 40 milhões e mesmo assim também não deverá ser cumprido

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 12/03/2021 06h58 - Atualizado em 12/03/2021 07h54
Luis Lima Jr./Estadão ConteúdoBruxelas tentou plano de adquirir doses que estão sendo produzidas nos EUA para amenizar a situação; não deu certo

A União Europeia continua enfrentando muitas dificuldades para vacinar a sua população. A falta de doses ainda não foi solucionada pelos fornecedores do bloco, que está muito atrás de Estados Unidos e Grã Bretanha no momento. Bruxelas já sabe que a AstraZeneca dificilmente vai cumprir a meta estabelecida para este trimestre. O laboratório anglo-sueco deveria entregar 100 milhões de doses para os europeus até o final deste mês. O compromisso foi revisto para 40 milhões de doses no início do ano e mesmo assim também não deverá ser cumprido.

Bruxelas tentou um plano de adquirir doses que estão sendo produzidas nos Estados Unidos para amenizar a situação — mas não deu certo. A AstraZeneca tem fábricas na União Europeia, mas problemas na linha de produção têm atrasado as entregas para o bloco. Para piorar ainda mais o cenário, nove países do continente decidiram suspender de forma provisória o uso da vacina de Oxford. Autoridades de saúde nacionais e da União Europeia investigam se alguns casos de coágulos sanguíneos em pessoas vacinadas, que podem provocar trombose ou embolia pulmonar, estariam relacionados ao imunizante.

O movimento começou na Áustria. Islândia, Dinamarca e Noruega também anunciaram a suspensão do uso do imunizante da AstraZeneca por precaução. A Itália decidiu interromper a aplicação de um lote específico do imunizante. A Agência Europeia de Medicamentos, que investiga o caso, afirmou que os benefícios da vacina ainda são muito maiores que os riscos em potencial. No Reino Unido, onde mais de 11 milhões de doses da AstraZeneca já foram aplicadas, as autoridades competentes afirmaram que os casos relacionados a coágulos sanguíneos não aumentaram nos últimos meses.