Um dia após sinal positivo, FMI indica rompimento com Argentina

  • Por Jovem Pan
  • 26/09/2019 06h44
EFEPresidente do país, Maurício Macri pediu renegociação das dívidas com o fundo

Um dia após o Fundo Monetário Internacional (FMI) reiterar a intenção de ajudar a Argentina, o diretor-gerente interino da instituição, David Lipton, anunciou que poderá suspender o programa de auxílio financeiro ao país. A declaração foi dada nesta quarta-feira (25), durante uma entrevista à agência de notícias Bloomberg.

Lipton afirmou que “a situação da Argentina, agora, é extremamente complexa”. Ele não descartou, no entanto, a possibilidade de uma futura negociação, e disse que uma eventual retomada da relação “terá que esperar um pouco”.

A Argentina fechou um acordo de US$ 56 bilhões com o FMI no ano passado e, em agosto deste ano, o país declarou moratória, ou seja, o adiamento do pagamento da dívida. Mesmo que a decisão tenha sido apenas sobre a dívida local, o governo disse que buscaria uma renegociação com o FMI.

Lipton ainda afirmou na entrevista que o maior desafio é saber como “acalmar o mercado e estabilizar a situação”. Com relação às eleições que se aproximam, o diretor-gerente interino do FMI disse que o fundo estará pronto para ajudar o país independentemente do resultado nas urnas.

*Com informações da repórter Camila Yunes