Uma semana após eleição, equatorianos ainda aguardam recontagem de votos

Apuração parcial aconteceu após o líder indígena Yaku Pérez fazer acusações de fraude eleitoral; o segundo turno da disputa está marcado para 11 de abril

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2021 07h26 - Atualizado em 15/02/2021 09h44
EFE/José Jácome

Quase uma semana depois das eleições no Equador, a população ainda está longe de saber quem será o próximo presidente. Na sexta-feira, 12, o Conselho Nacional Eleitoral do país anunciou uma recontagem parcial dos votos. A decisão foi tomada a partir de um acordo entre o órgão e dois candidatos que lutam por uma vaga no segundo turno. O líder indígena de esquerda Yaku Pérez e o ex-banqueiro de direita Guillermo Lasso pediram a nova apuração depois de Pérez fazer acusações de fraude eleitoral, sem apresentar provas. A contagem preliminar registrou 19,38% dos votos para Pérez e 19,74% para Lasso. Em primeiro lugar ficou o economista Andres Arauz, apadrinhado pelo ex-presidente socialista Rafael Correa, com 32,7% dos votos. O segundo turno está marcado para 11 de abril, quando será eleito o sucessor do atual presidente, Lenín Moreno, cujo mandato de quatro anos terminará em 24 de maio. Após a recontagem, que não tem prazo para ser finalizada, Lasso e Pérez concordaram em respeitar os novos resultados.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini