Farra no Tesouro apura desvios milionários na Prefeitura de Jales

  • Por Jovem Pan
  • 31/07/2018 14h38
Divulgação/Polícia FederalDinheiro apreendido durante operação Farra no Tesouro, que apurou desvios por meio da tesoureira da Prefeitura de Jales, interior de São Paulo

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (31) a Operação Farra no Tesouro, que investiga grupo criminoso suspeito de desvios superiores a R$ 5 milhões dos cofres da Prefeitura de Jales, no interior de São Paulo.

Cerca de 50 policiais federais cumprem cinco mandados de prisão temporária e 13 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 5ª Vara da Justiça Estadual de Jales, com parecer favorável do Ministério Público Estadual.

A tesoureira da cidade foi presa. Familiares da servidora, além da secretária municipal de Saúde do município, também foram presos temporariamente.

Os 13 mandados de busca e apreensão – doze deles em Jales – estão sendo cumpridos nas residências dos presos, nas empresas do marido da tesoureira e também nas residências dos Secretários da Fazenda e Saúde do município.

A secretária de Saúde foi presa, enquanto o chefe da pasta da Fazenda (superior direto da tesoureira), embora não tenha sido preso, também está entre os alvos das buscas.

Cheques apreendidos pela PF durante apuração de desvios na Prefeitura de Jales (PF)

Setores da Prefeitura Municipal, relacionados à tesouraria e contabilidade, também estão sendo alvo das buscas realizadas pela PF. O objetivo destas buscas é a localização dos documentos relativos aos pagamentos e transferências suspeitas realizadas pela tesoureira nos últimos treze anos em que atua na Prefeitura Municipal de Jales/SP.

As investigações começaram no início deste ano, a partir de informações recebidas pelo núcleo de inteligência da PF, que relataram ocorrências de desvios de recursos públicos das contas da Prefeitura Municipal de Jales há vários anos. De acordo com o que foi apurado, a tesoureira da Prefeitura de Jales seria a mentora dos desvios. Ela foi contratada em 2005 para trabalhar na Prefeitura de Jales, sem concurso público. Ela e parte de sua família seriam os principais beneficiários dos recursos desviados neste rombo milionário.

Estimativas iniciais indicam que a tesoureira do município pode ter desviado cifra superior a R$ 5 milhões durante o tempo em que trabalha na Prefeitura de Jales. Somente nos últimos dois anos, ela teria desviado aproximadamente R$ 2 milhões.

Carros apreendidos durante Operação Farra no Tesouro, que apurou desvios da Prefeitura de Jales, no interior de SP (PF)

Os presos serão indiciados por vários crimes, dentre eles peculato, lavagem de dinheiro e associação criminosa. O material e os veículos apreendidos serão encaminhados para a sede da Polícia Federal em Jales. Os presos serão conduzidos à Cadeia Pública de Santa Fé do Sul (homens) e Cadeia Pública de Nhandeara (mulheres), onde permanecerão à disposição da Justiça Estadual de Jales.