Fernanda Lima cobra "destruição de valores machistas" sobre abuso contra mulheres

  • Por Jovem Pan
  • 27/05/2016 12h12
Rodrigo Freitas/ Jovem Pan

Nesta sexta-feira (27), a apresentadora Fernanda Lima participou do Jovem Pan Morning Show e deixou registrada a sua indignação com o estupro coletivo contra uma jovem de 16 anos, que aconteceu na última quarta-feira e foi divulgado nas redes sociais. A líder do programa “Superstar” pediu que não haja impunidade contra os 30 envolvidos na barbárie e defendeu que os pais acabem desde cedo com o machismo em seus filhos.

“O pior de tudo é que vão prender e soltar depois e a impunidade vai continuar. O que adianta prender e soltar ele para repetir tudo de novo?”, questionou.

Fernanda acredita que os valores da sociedade andam deturpados e que é necessário haver uma reconstrução para passar às gerações futuras. “ Precisa parar de guerrear entre homem e mulher. Precisamos destruir todos esses valores que trouxemos dos antepassados e reconstruir”, defendeu.

Mãe de dois filhos com o ator Rodrigo Hilbert, a ex-MTV revelou que é muito complicado criar dois homens. Ela contou que sempre toca no ponto de respeitar o espaço das pessoas que ele não conhecem e não ficarem as tocando sem a permissão.

“São assuntos delicados. Meus filhos tem 8 anos e desde sempre temos que lutar contra a violência. Sempre toco nesse ponto, eles pegam de um jeito que machuca meu cabelo e eu falo que não pode. Eles são crianças, no começo da puberdade e vai acontecendo coisas com o corpo”, falou. “É muito delicado como falar para não reprimir, mas ao mesmo tempo não reproduzir coisas com pessoas que ele não conhece. Vou explicando como o corpo funciona e falo para não invadir o espaço de alguém sem que ela permita”, completou.

Para repelir toda essa cultura machista e evitar novos casos de abuso contra mulheres, a gaúcha chamou os homens a participarem mais dessa luta. Ela garantiu que Rodrigo é bem ativo nesse quesito com os filhos.

“Já passaram a mão na minha bunda e eu disse que não pode. Se não fala, eles acham que é normal. A sociedade já é machista e temos que lutar contra. Os homens também tem que lutar contra o machismo, eu sempre chamo o Rodrigo para ajudar”, revelou.

Fanatismo dos fãs

Fernanda Lima contou que já passou por casos de fãs que ultrapassam os limites do aceitável. Na época em que trabalhou na Rede TV, a loira revelou que um homem aparecia quase todo dia levando buquê de rosas para ela, cada vez maiores. A gaúcha ressaltou que sempre evitou mostrar a sua intimidade para evitar que nenhum “maluco” a surpreendesse.

Com o caso Ana Hickmann, que foi ameaçada com arma por um fã no último dia 21 de abril, a apresentadora global comentou o fato dos xingamentos pesados proferidos pelo rapaz, após ter em sua mente que Hickmann “traiu o seu amor”. Ela disse que nunca foi ofendida nesse sentido e que não se sente inferior a nenhum homem.

“Não, nunca senti e talvez que eu pudesse sentir, sempre me coloquei no meu papel. Sempre lutei, estudei e trabalhei. Nunca me senti inferior aos homens. Nunca fui ameaça ou ofendida nesse sentido. As mulheres sofrem ameaças, xingadas de vagabundas e outros predicados”, concluiu o assunto.

Época como atriz

Entre 2005 e 2006, Fernanda Lima teve uma experiência polêmica como atriz na novela “Bang Bang”, sendo protagonista da trama das 19h. Ela revelou que sofreu represália por parte da mídia e algumas pessoas dentro do Projac, mas sem citar nomes ou importância dentro dos estúdios.

“Sofri represália em ‘Bang Bang’. Parecia que eu não poderia estar ali”, contou. “Um monte de fofocas de todos os lados, mas essa é a vida”.

Muito sincera, a global disse não ter certeza se estava preparada para assumir o papel, mas que amou trabalhar como atriz. “Não sei se estava preparada para fazer o papel, mas eu amei, e era muito crua. Trabalhei só como Fernanda”, explicou.

Infeliz com a política brasileira

Fernanda também não está muito à vontade com o cenário atual da política brasileira. Sem defender Dilma Rousseff, a apresentadora enfatizou que não suporta o atual presidente em exercício, Michel Temer, e defendeu a realização de novas eleições.

“Não suporto o Temer, tem que fazer eleições diretas. O problema é quem vai se candidatar? Quem vai nos salvar? Quem vai limpar e afastar aquela gentalha toda sem escrúpulos?” questionou.

Apesar de não considerar o afastamento de Dilma como golpe, a apresentadora acredita que houve uma grande manobra política para afastá-la do poder.

“Eu acho que eles armaram sim, são uns crápulas. Depois que vazaram essas gravações, ficou claro” opinou. “Mesmo sendo uma manobra, é legítimo que as pessoas digam ‘tira, não aguento mais isso, não importa como’”, defendeu.

“Família Margarina”

Casada com Rodrigo Hilbert há 11 anos, mas juntos há quase 15, a gaúcha não vê a sua vida como uma “família margarina”. Sem ter nenhuma polêmica em todo esse tempo juntos, a apresentadora foi só elogios sobre o relacionamento.

“A minha vida real é de vida margarida. É muito harmoniosa e muito leve. Lógico que tem discussões, mas resolvemos na conversa em casa. Quando acontece algo, vou lá e faço yoga, coloco a cabeça no lugar”, concluiu.