Suzane Von Richthofen retoma contato com irmão quase 20 anos após crime, diz jornalista

  • Por Jovem Pan
  • 19/12/2019 12h42
Jovem PanUlisses Campbell e Paulo Tadeu foram os convidados do Morning Show nesta quinta-feira (19)

Suzane Von Richthofen e seu irmão mais novo, Andreas, estão se reaproximando quase 20 anos depois do crime que tirou o sobrenome da família do anonimato. Em 2002, a jovem de 19 anos foi acusada de planejar e pedir ajuda de Christian e Daniel Cravinhos, seu namorado, para matar os pais.

Nesta quarta-feira (18), o Supremo Tribunal Federal liberou um livro que conta a trajetória de Suzane antes e depois do crime, e que teve sua publicação barrada a pedido da defesa da detenta. O jornalista Ulisses Campbell é autor de “Suzane — Assassina e manipuladora” e foi quem contou com exclusividade ao Morning Show desta quinta (19) sobre a reaproximação dos irmãos.

“Geralmente um livro sobre um crime desses só traz novidade quando não se tem certeza [sobre o caso]. Mas a Suzane é ré confessa, assim como os irmãos Cravinhos confessaram que mataram [os pais dela]. O que o livro traz de novo é a reaproximação de Suzane com o irmão depois de 20 anos, contamos como está sendo isso”, disse Campbell sem dar detalhes sobre o reencontro dos irmãos.

Em 2017, Andreas Von Richthofen foi detido pela polícia de São Paulo após ser encontrado dormindo no quintal de uma casa na região do Morumbi – próximo aonde cresceu. Levado ao hospital durante o surto psicológico, as fotos dele sujo e desnutrido ganharam repercussão na imprensa. Desde então, Andreas se manteve, novamente, longe dos holofotes da mídia.

Campbell, que trabalhou na revista Veja por muitos anos, contou que seu interesse por Suzane surgiu durante reportagens sobre suas “saídinhas temporárias” da cadeia.

“Comecei a investigar o universo prisional que cerca a Suzane e percebi que existia material para além de reportagem. O crime que ela cometeu é condenado pela comunidade da cadeia, assim como estupro e outros, essas pessoas não resistem lá dentro. Mas ela não só resistiu como se tonou líder”, lembrou em referência ao relacionamento dela com Sandrão, apelido de uma namorada que Suzane teve em Tremembé.

“Suzane — Assassina e manipuladora” chega às livrarias em janeiro de 2020. No mesmo ano, chega aos cinemas “A Menina que Matou os Pais” que terá Carla Diaz no papel principal.

Confira a entrevista completa: