Rafael Cortez rebate críticas de machismo: “parte do meu trabalho é enaltecer as mulheres”

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2015 11h32
Divulgação

O apresentador Rafael Cortez, em entrevista ao Morning Show desta quinta-feira (24), reclamou do fato de estar sendo chamado de machista por conta de uma mal sucedida entrevista com atrizes da série Orange Is The New Black. “Essa foi uma matéria ruim com perguntas mal formuladas”, reconheceu.

A intenção, segundo Cortez, era perguntar se havia problemas de relacionamento de ter muitas mulheres juntas nos dias de  TPM. “Eu queria que as pessoas julgassem como uma entrevista que não é boa e não foi engraçada, não como uma entrevista com teores machistas e misóginos. Eu fiquei puto, foi ruim, mas eu não sou carrasco”, considerou.

Para as atrizes Uzo Aduba, Natasha Lyonne e Samira Wiley – que interpretam presidiárias -, Cortez perguntou se elas não sentiam falta de homens no elenco ou para “fazer coisas de homem”.  

Cortez alega que baseia a sua carreira, não só a da televisão, mas também a de instrumentista, para homenagear as mulheres. “Parte do meu trabalho artístico é de enaltecer as mulheres”, falou. “Parte do meu trabalho jornalístico no CQC foi afrontar Malafaias, Felicianos e Bolsonaros e desagregadores da sociedade”, finalizou.