Salles explica o ‘ir passando a boiada’: ‘Brasil é burocrático, com série de regras’

Em entrevista à Jovem Pan, ministro do Meio Ambiente disse que frase foi distorcida, mas é necessário rever normais para atrair investidores estrangeiros

  • Por Jovem Pan
  • 01/07/2020 11h52
Jovem PanMinistro do Meio Ambiente foi o convidado do Morning Show nesta quarta-feira (1º)

Um dos trechos que mais repercutiu do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril foi a fala do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sobre ” ir passando a boiada e mudando todo o regramento e simplificando normas [ambientais]” enquanto a imprensa brasileira está focada na cobertura da pandemia de Covid-19.

Em entrevista ao Morning Show desta quarta-feira (1º), Salles alegou que a frase foi distorcida, mas há sim a necessidade de rever as normas ambientais para atrair investidores estrangeiros.

“Há a necessidade de ter muita serenidade, fazer uma revisão sem precarizar as garantias ambientais, mas isso eu falei na reunião para todos os ministérios: o Brasil é um país muito difícil, burocrático, com uma série de regras”, disse citando a aprovação do novo marco do saneamento básico, que não avançou antes “graças a burocracia e a falta de segurança jurídica”.

Segundo Salles, órgãos internacionais como o Banco Mundial e entidades de investimentos criticam o Brasil há 20 anos pela dificuldade de empreender no país.

“O Brasil é um verdadeiro inferno para o empreendedor, para quem quer investir no país e para quem quer fazer alguma coisa ainda que na área do terceiro setor. É difícil toda essa via-crúcis de laudos, vistorias, licenças, alvarás”, argumentou o ministro.

Ricardo Salles ainda disse o presidente Jair Bolsonaro foi eleito para colocar o país “no trilho do desenvolvimento sustentável”. “Quando olhamos as políticas que o governo tem tomado é para cuidar do meio ambiente, mas também cuidar das pessoas”, afirmou.