"Se algum dinheiro foi para fora, foi dentro da legalidade", justifica Ratinho sobre o nome no caso HSBC

  • Por Jovem Pan
  • 31/03/2015 12h08
Jovem Pan

Envolvido no escândalo de remessas ilegais para paraísos fiscais, o apresentador  Ratinho contou que não controla as próprias finanças e que não sabe ao certo se tem dinheiro no exterior. “Se algum dinheiro foi para fora, foi dentro da legalidade”, defendeu durante a entrevista por telefone concedida ao Morning Show desta terça-feira (31).

Informações recentes do jornalista Fernando Rodrigues indicam que Carlos Massa, verdadeiro nome do apresentador, e sua esposa teriam  US$ 12 milhões (em torno de R$ 38 milhões) não declarados no HSBC da Suíça, caso mundial batizado de SwissLeaks.  “Eu não sou um cara que sabe lidar com finanças, com dinheiro.  Se você perguntar para mim agora quanto eu tenho no banco, eu nem sei porque eu não cuido disso.  Tudo que eu fiz foi dentro da legalidade. Se algum dinheiro foi para fora, foi para HSBC, Itaú ou Bradesco, eu não sei, mas foi dentro da legalidade. A única coisa que sei é que foi dentro da legalidade”,  disse o também dono da Rede Massa de Comunicação, grupo afiliado ao SBT no Paraná e proprietário de oito rádios.

 O apresentador contou que uma vez recebeu R$ 10 milhões do Silvio Santos e procurou um contador para investir o dinheiro. “Eu cheguei  para o meu contador da época e eu falei que ‘tenho que fazer uma coisa com esse dinheiro porque não sei o que fazer com ele'”, incluiu na entrevista.

À frente da atração do SBT, Ratinho também contou que em dentro um mês o programa noturno deve ter um novo quadro importado. “Comprei agora um programa chamado ‘Tempo Justo’ que vamos mudar de nome aqui porque ele não é muito gostoso”, disse. A brincadeira, resumidamente, inclui disputas para ver quem, entre os participantes, calcula melhor o tempo sem ajuda de um relógio.