Líder do PSDB prevê 365 votos a favor: “uma presidente para ficar esquecida”

  • Por Jovem Pan
  • 15/04/2016 11h49
George Gianni/ Divulgação PSDB Deputado federal Antônio Imbassahy (PSDB-BA)

 Antônio Imbassahy, líder do PSDB na Câmara dos Deputados, afirmou em entrevista à Jovem Pan que está confiante com a aprovação da abertura do processo de impeachment contra Dilma Rousseff: “vamos iniciar às 14h uma sessão histórica que vai terminar com a admissibilidade da abertura de impeachment da Dilma”.

É esperado que cada partido tenha uma hora para se pronunciar antes da votação. Imbassahy, em conversas com outros membros do Congresso, afirma que o número de deputados favoráveis à abertura do processo já conta com 365 nomes.

O parlamentar critica o ex-presidente Lula e o uso que Dilma fez do Estado para defendê-lo, mas aponta que, apesar de longo o caminho a ser percorrido, as coisas vão melhorar na política brasileira: “A Dilma é uma invenção do Lula, uma criatura. Criou-se uma figura de uma notável, mas é uma pessoa obscura, sem liderança, sem capacidade de articulação, que trata mal auxiliares e parlamentares. É uma presidente para ficar esquecida da história do Brasil. (…)Vamos votar se ficamos no Brasil do petrolão, do mensalão, de uma presidente que usa o aparelho de Estado para proteger um ex-presidente, um Brasil onde a presidente tenta obstruir investigação. (…) As coisas vão melhorar, passou da hora disso aí”.

 Se por um lado a confiança é alta na Câmara dos Deputados, no Senado a votação ainda pode surpreender, informou Aloysio Nunes à Jovem Pan. O senador tucano afirma que Dilma ainda possui uma base parlamentar atuante na Casa. Sobre o discurso de golpe, Nunes afirma que caiu por terra com a decisão do STF: “A partir da decisão de ontem com 8 votos a 2, esse discurso caiu por terra. O governo acabou . Acabou esse ciclo do governo do PT”.

A presidente vai se pronunciar às 20h desta sexta-feira em toda a cadeia de rádio e televisão e Aloysio Nunes prevê um “panelaço” sem precedentes: “Haja panela!”.