‘Usamos a voz das nossas marcas para promover mudanças positivas na sociedade’, diz diretora da P&G

Em entrevista ao Mulheres Positivas, Isabella Zakzuk contou quais as suas principiais iniciativas na empresa e como passou de estagiária a diretora sênior em 15 anos

  • Por Jovem Pan
  • 28/03/2022 17h59 - Atualizado em 28/03/2022 19h55
Reprodução/Jovem Pan Isabella Zakzuk no estúdio do Mulheres Positivas Isabella Zakzuk foi a convidada do programa Mulheres Positivas desta semana

O programa Mulheres Positivas desta semana recebeu Isabella Zakzuk, diretora sênior de operação de marcas de beleza e e-commerce da P&G (Procter & Gamble). Em entrevista a Fabi Saad, ela contou sobre sua trajetória profissional na marca. “Entrei como estagiária há 15 anos, imaginando que pudesse trilhar uma carreira, ter um relacionamento duradouro com a P&G, e aqui estou eu 15 anos depois. Eu brinco: passei por diversos empregos dentro da mesma empresa. Sempre fui de marketing, mas passei por cuidados com a roupa, lancei o Downy no Brasil, passei para estrutura regional e local. Fui para a beleza, assumi marcas de cabelo”, contou sobre sua experiência. “No ano passado, comecei a ter experiências além do gerenciamento, passei para a parte de mídias. Me deram o presente de assumir o canal do e-commerce. Ao longo de todos esses anos, nunca me entediei. Muitas oportunidades foram se apresentando e eu pude abraçá-las para continuar crescendo pessoalmente e profissionalmente. Sentindo também que meu esforço estava sendo recompensado.”

Em meio às responsabilidades profissionais e tarefas do dia a dia, Isabella conta como aprendeu a lidar com a instantaneidade da rotina. “Eu brinco que eu criei minhas missões diárias. Eu acordo todos os dias pensando nas três grandes coisas. O resto, se der para fazer, que bom! Se não der, o outro dia tem mais. Três coisas importantes com impacto, depois respondo e-mails e o que dá para fazer”, explicou. “Isso faz ter uma noção de priorização e que, no meio de complexidades, conseguimos focar naquilo que realmente vai fazer diferença para o negócio, para a organização, para o meu desenvolvimento e para a comunidade à nossa volta”, explicou.

Zakzuk contou também sobre suas iniciativas dentro da P&G para que as marcas se aproximem dos clientes e criem uma noção de representatividade. “Para fora das nossas paredes, nós acreditamos muito no poder e na voz das nossas marcas, para que elas consigam representar e quebrar estereótipos. Se nós falamos da marca Pampers, que mostra agora não só mães, mas pais cuidando dos seus filhos. Desde o fato de que o homem é pai também, mas ainda para mostrar responsabilidades compartilhadas”, contou. “Precisamos usar nossa voz e a voz das nossas marcas para promover debates importantes e mudanças positivas na sociedade. A Always, de absorvente, recentemente trouxe à tona o debate sobre a pobreza menstrual e hoje conseguiu influenciar muitas coisas. Encaramos isso pensando no que as marcas podem fazer”, concluiu.

Isabella Zakzuk lembrou Juliana Azevedo, primeira mulher a presidir a P&G, como uma referência de mulher positiva. “Desde que entrei como estagiária, ela sempre foi uma mulher de bastante expressão, não apenas no negócio, mas no cuidado com as pessoas”, lembrou. Como livro, a diretora indicou a obra “A Amiga Genial”, de Elena Ferrante. Entre os filmes, ela dedicou um espaço especial para “Forrest Gump”, clássico pelo qual Zakzuk diz ser apaixonada.

Confira na íntegra a entrevista com Isabella Zakzuk: