Ana Paula estranha ‘timing’ das denúncias contra Guimarães: ‘Por que isso não veio à tona mais cedo?’

Comentaristas do programa Os Pingos nos Is discutiram as repercussões do caso envolvendo o agora ex-presidente da Caixa Econômica Federal e relatos de assédio sexual

  • Por Jovem Pan
  • 29/06/2022 18h44 - Atualizado em 29/06/2022 22h06
Marcelo Camargo/Agência Brasil Pedro Guimarães é o atual presidente da Caixa Econômica Federal Em carta, Pedro Guimarães mencionou que a situação é "cruel, injusta, desigual"

Alvo de denúncias de assédio sexual, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, renunciou ao cargo nesta quarta-feira, 29. Ele é denunciado por funcionárias do banco estatal, que relatam episódios em que foram assediadas, tocadas ou constrangidas, segundo apurado do jornal Metrópoles, divulgada nesta terça, 28. Em carta onde anuncia seu pedido de demissão, Guimarães mencionou que a situação é “cruel, injusta, desigual” e negou as acusações. “Não refletem a minha postura profissional e nem pessoal. Tenho a plena certeza de que estas acusações não se sustentarão ao passar por uma avaliação técnica e isenta”, disse o agora ex-presidente da Caixa, acrescentando que deixa o cargo para não prejudicar a instituição ou o governo “sendo um alvo para rancor político”. “Junto-me à minha família para me defender das perversidades lançadas contra mim.”

Durante sua participação no programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, a comentarista Ana Paula Henkel reforçou que toda denúncia, especial de assédio sexual, deve ser investigação. No entanto, a analista questionou o “timing” das denúncias, chegando “na véspera das eleições”. “Por que isso não veio à tona mais cedo? É um questionamento legítimo, já que falamos de denúncias sérias de assédio sexual. Outro ponto é sempre que há denúncia, há afastamento imediato. Não espera as investigações seguirem o rumo, como víamos na era petista. Essa administração já demonstrou: houve denúncia e precisa de investigação? Afasta. Assédio sexual é caso grave, mas o que é assédio sexual? Venho de um estado nos Estados Unidos, a Califórnia, onde o movimento ‘Me too’ tomou uma proporção gigantesca e  tudo virou assédio sexual.”

Confira o programa desta quarta-feira, 29: