‘Marxistas de Ipanema’, diz Ana Paula Henkel sobre jogadora que gritou ‘Fora Bolsonaro’

Segundo a comentarista, Carolina Solberg tem o direito de opinar, mas carta de repúdio da Confederação Brasileira de Vôlei foi legítima

  • Por Jovem Pan
  • 21/09/2020 21h00 - Atualizado em 21/09/2020 21h06
InstagramCarolina Solberg (à direita) é filha da ex-jogadora, Isabel Salgado

“Todo mundo tem o direito de falar o que pensa, até os ignorantes”, afirmou a ex-jogadora de vôlei e comentarista convidada do programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, Ana Paula Henkel sobre a colega Carolina Solberg, que criou uma polêmica ao gritar “Fora, Bolsonaro” após conquistar o bronze do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia. A reação da atleta, que aconteceu durante entrevista ao vivo, provocou uma nota de repúdio da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV). “Como defensores da liberdade de expressão, vamos defender também quem abraça a hipocrisia, indignação seletiva, panfletagem e esse narcisismo político”, argumentou Ana Paula.

Segundo ela, Carolina é filha da a ex-jogadora Isabel Salgado, que recentemente enviou uma carta endereçada a Ana Paula questionando uma publicação em que ela colocou dados do Departamento de Justiça dos Estados Unidos sobre os crimes entre negros e brancos. “Curiosamente, nessa carta ela elucidou um filósofo marxista dos anos 50, Frantz Fanon. Para essa turma existe democracia quando um lado apenas fala. Mas como não somos dessa turma, e como não elucidamos os marxistas, ao contrário de Carolina e sua mãe, quero que todo mundo tenha a capacidade de falar. Sou contra qualquer tipo de punição, mesmo Carolina tendo o patrocínio de um banco estatal — o Banco do Brasil”, disse. Além disso, de acordo com a ex-jogadora, “nos bastidores do esporte” a família é chamada de “marxistas de Ipanema”. Carolina é filha do cineasta Ruy Solberg.

Ana Paula lembrou, ainda, que essa não é a primeira carta de repúdio que o CBV faz contra um esportista. Em 2018, a Confederação se manifestou contra o jogador Wallace, que fez um gesto de apoio ao então candidato do PSL, Jair Bolsonaro, durante o Campeonato Mundial, após a vitória do Brasil sobre a França. “A Confederação Brasileira nesse caso condenou as duas manifestações. Acho que Carolina tem o direito de opinar, falar o que ela acha, embora eu não concorde com muitas coisas que a família ali fala, ela tem o direito de opinar. Mas é uma hipocrisia pq essa turma “Fora Bolsonaro criticou muito Wallace quando ele demonstrou apoio ao governo”, finalizou Ana Paula.