Ana Paula Henkel: ‘PSDB desceu do muro e caiu do lado que sempre esteve: o esquerdo’

Comentarista do programa Os Pingos Nos Is falou sobre o alinhamento entre os tucanos e o PT visando a eleição presidencial de 2022 e comparou a situação do Brasil à dos EUA

  • Por Jovem Pan
  • 16/04/2021 20h19
GABRIELA BILÓ/ESTADÃO CONTEÚDOComentarista criticou a decisão do STF que confirmou a anulação das condenações de Lula

O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Rodrigo de Castro, afirmou que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que confirmou a anulação das condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Lava Jato reforça a necessidade dos partidos de centro construírem uma candidatura viável para a eleição presidencial de 2022. Nacionalmente, a posição do partido não é unanime. Antagonistas na política desde os anos 90, o PT e o PSDB selaram uma trégua e se alinharam em várias frentes contra o presidente Jair Bolsonaro. A principal delas é o fórum dos governadores, onde tucanos e petistas têm se apoiado mutuamente. Eleito em São Paulo com discurso anti-petista, o governador João Doria (PSDB) abriu mão do protagonismo e defendeu a escolha do governador do Piauí, Wellington Dias (PT) como coordenador das discussões sobre vacina no fórum dos governadores. Recentemente, em entrevista ao Estadão, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) admitiu a possibilidade de votar em Lula no segundo turno de 2022 se o adversário for Bolsonaro.

O alinhamento entre os dois partidos foi debatido no programa Os Pingos dos Is, da Jovem Pan, desta sexta-feira, 16. Nele, a comentarista Ana Paula Henkel afirmou que o brasileiro sabe quem Lula é e disse que o PSDB parou de fingir estar neutro e se posicionou “do lado em que sempre esteve”, se referindo à esquerda. “As cartas agora estão todas na mesa. […] Acho que o brasileiro sabe o que está acontecendo sim, o brasileiro sabe quem é Luiz Inácio Lula da Silva, não tem como inocentar não apenas o ex-presidente, mas o que o PT fez. É tudo muito óbvio. Várias instâncias ai no Brasil, primeira instância, tribunal regional federal e STJ, todas referendando a roubalheira que foi o esquema mais corrupto da história de uma democracia, isso tudo muito óbvio para todos nós. A limonada desse limão todo é que todas as cartas estão na mesa. Não tem mais como mentir, não tem mais como enganar o brasileiro. O PSDB desceu do muro que ele fingiu que sempre esteve e, para variar, caiu do lado onde sempre esteve, do lado esquerdo”, disse a comentarista.

Além disso, Ana Paula, que vive nos Estados Unidos, comparou a situação do Brasil com a dos EUA após a eleição de Donald Trump, dizendo que pessoas que estavam alinhadas ao republicano se viraram contra ele. “O cenário é muito parecido com o que aconteceu aqui nos Estados Unidos logo após a eleição do Donald Trump. Obviamente, a gente sempre tem que fazer o disclaimer. Não estamos comparando os personagens Donald Trump e Jair Bolsonaro, mas o cenário é muito parecido em relação às máscaras. Muitas máscaras caíram, esqueletos saíram do armário, republicanos que, até então, diziam apoiar reformas fiscais, apoiar reformas nas leis migratórias, na infraestrutura dos Estados Unidos simplesmente vestiram a roupa de anti-Trumpismo psicótico e hoje a gente vê exatamente isso no Brasil”, afirmou a comentarista, que também criticou a decisão do STF sobre as condenações de Lula, chamando-a de “esdrúxula”.

Confira a íntegra da edição do programa Os Pingos Nos Is desta sexta-feira, 16: