‘Arthur do Val revelou espírito de porco no áudio sobre ucranianas’, analisa Guilherme Fiuza

Comentarista avalia cassação do deputado estadual de São Paulo, confirmada nesta terça

  • Por Jovem Pan
  • 17/05/2022 19h18
Reprodução/Youtube/Mamaefalei arthur do val Cassação de Arthur do Val, conhecido como 'Mamãe Falei', foi confirmada nesta terça

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) aprovou nesta terça-feira, 17,  por unanimidade, a cassação do mandato do ex-deputado Arthur do Val (União Brasil). Foram 73 votos favoráveis — era necessária uma maioria simples, de 48 parlamentares, para a aprovação. Apesar de já ter renunciado ao cargo em abril, do Val perderá seus direitos políticos e ficará inelegível por oito anos. Conhecido nas redes sociais como “Mamãe Falei”, o ex-deputado estava sofrendo um processo por quebra de decoro após ter feito declarações machistas sobre mulheres ucranianas. Durante sua passagem ao país, o ex-parlamentares mandou uma série de áudios a colegas do MBL com comentários sexistas, como um em que disse que as mulheres ucranianas “são fáceis porque são pobres”. Logo após o vazamento, o próprio parlamentar assumiu a autoria dos áudios, se desfiliou do Podemos e se afastou do MBL. A cassação foi debatida no programa ‘Os Pingos Nos Is’, da Jovem Pan News, nesta terça, e o comentarista Guilherme Fiuza analisou que o caso revela o ‘espírito do porco’ de Do Val, que seria um oportunista assim como seus colegas do MBL.

“Aquele áudio foi a revelação de um espírito de porco. O áudio foi vazado e revelou o espírito de porco, a cabeça pequena, os jeitos de ser, de pensar, olhando aquilo como se fosse um desfile, o ‘Ucrânia Fashion Week’. Mostra um aspecto de leviandade, de superficialidade, de mau gosto, de falta de humanidade. Acho que é pedagógico, porque ele não está só. É um emblema de uma safra grande de espertos, que são ‘calculistazinhos’. Esse movimento ao qual ele pertence caiu no calculismo das bandeiras e bandeirolas. Eles militaram por algum tempo como os guardiões da moral e dos bons costumes, falavam da família, da postura, dos costumes. Estiveram com Dória, depois se afastaram do Dória, depois voltaram para o Dória. Participaram de todas as tentativas de criar um culpado para a Covid-19, em uma exploração política, um cálculo rasteiro, da mesma forma que aquela visão obtusa das mulheres da Ucrânia. Isso é você olhar a realidade como um painel de oportunidades para sua demagogia. É um episódio didático sobre esse tipo de calculistazinho, e ano eleitoral está cheio disso aí. Agucem seus olhares porque tem muita gente com esse mesmo estilo por aí”, alertou Fiuza.

Confira a edição desta terça, 17, do programa Os Pingos Nos Is.