Augusto Nunes: ‘Moro está pagando pelas suas virtudes, e não por eventuais defeitos que tenha’

Para o comentarista, STF está ‘provocando uma insegurança permanente com decisões monocráticas que geram todo o tipo de interpretação’

  • Por Jovem Pan
  • 09/03/2021 20h17
FÁTIMA MEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOSegunda Turma do Supremo julgou hoje a suspeição do ex-juiz federal Sergio Moro

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) julgou, na tarde desta terça-feira, 9, o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a suspeição do ex-juiz federal Sergio Moro. O item foi incluído na pauta pelo ministro Gilmar Mendes, mesmo após o ministro Edson Fachin anular todas as condenações relativas ao petista e defender, em seu despacho, que a petição sobre a suposta parcialidade do magistrado havia perdido o objeto, ou seja, não teria por que ser julgada. O julgamento foi adiado após o ministro Kassio Nunes Marques pedir vista, isto é, mais tempo para analisar o caso, já que nunca havia acessado o processo. Para o comentarista Augusto Nunes, do programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, “Moro está pagando por suas virtudes, e não por eventuais defeitos que tenha”.

“O fato é que Moro está sendo ameaçado de condenação e Lula está livre de qualquer processo e pode ser candidato a qualquer cargo. É um delinquente, ladrão, comprovadamente corrupto e lavador de dinheiro e está aí. E o Moro, que participou de uma operação que devolveu ao povo brasileiro a esperança de que todos podem ser tratados pela justiça igualmente, está pagando pelas suas virtudes, não por eventuais defeitos que tenha”, afirmou Augusto. Segundo ele, o STF está “provocando uma insegurança permanente com decisões monocráticas que geram todo o tipo de interpretação”. “Quando uma decisão judicial provoca diferentes interpretações, está estabelecida a insegurança jurídica. A decisão tem que ser clara, coerente e não pode ser motivada por razões de ordem política, como tem sido sempre no Supremo. Se não é questão constitucional, não deveria estar sendo julgada, [o STF] é feito para julgar questões constitucionais”, disse.

Ele criticou, ainda, o voto de Gilmar Mendes, que foi a favor da suspeição de Moro e fez diversas críticas ao ex-juiz federal e à Operação Lava Jato. Segundo Gilmar, Moro agiu para tirar o petista do jogo eleitoral e deslegitimar politicamente o Partido dos Trabalhadores (PT). “O que está dizendo Gilmar Mendes é que Lula não é criminoso, está negando todos os crimes atribuídos ao Lula e a sua quadrilha. Se o juiz Sergio Moro for declarado parcial, tem que ser anulados todos os processos que conduziu, não só os do Lula, que é um criminoso no plural. Gilmar falar em sandálias da humildade é uma piada, ele calça permanentemente os coturnos da arrogância, da insolência”, afirmou Augusto. “Gilmar é aliado do Lula, é aliado do PT,  está fazendo esse jogo político para permitir que Lula seja candidato, está tentando desmoralizar não só o Moro, mas os demais juízes que atuaram na Lava Jato. O Supremo pode ser desmoralizado pela Segunda Turma do Supremo”, continuou o comentarista. Para Augusto, agora é a hora de Kassio Nunes Marques, que foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro, “mostrar sua face real”. “Ele vai decidir esse processo”.

Assista ao programa na íntegra: