‘Maia vai ter que lutar muito para continuar deputado’, diz Augusto Nunes

Comentarista do programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, também afirmou que vê o futuro do ex-presidente da Câmara no PSDB

  • Por Jovem Pan
  • 02/02/2021 19h21
Youtube/Os Pingos nos IsMaia foi o fiador da campanha de Baleia Rossi, derrotado por Arthur Lira

A eleição de Arthur Lira (PP-AL) para o comando da Câmara dos Deputados deu fim a uma gestão de quatro anos e sete meses de Rodrigo Maia (DEM-RJ). Na reta final da campanha, Maia viu a Executiva Nacional do DEM, seu partido, decidir pela neutralidade no pleito. A decisão ocorreu após a maioria da bancada da sigla na Câmara demonstrar apoio ao deputado do PP. Um dia depois de Maia afirmar que voltará à “planície” da Casa, o futuro do parlamentar foi tema do programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan. Para o comentarista Augusto Nunes, “Maia vai ter que lutar muito para continuar deputado”.

“Maia tem tanto carisma quanto Dilma Rousseff. Sem carisma, ninguém vai longe. Às vezes as circunstâncias se somam para mostrar que toda a regra tem exceção. O Maia, quando entra em um bar, as pessoas o cercam para conversa? Ele melhoraria uma roda de conversa? Não, porque não tem carisma nenhum. Maia entrou em um barco furado. Ele achou, nestes quatro anos de permanência na presidência da Câmara, que tinha criado um grupo invencível. Ele pensava em ser presidente da Câmara outra vez e candidato à Presidência da República. Ele vai ter que lutar muito para continuar deputado. E acho que o destino dele é mudar de partido. Vai para o PSDB, que é outro partido que afunda cada vez mais”, disse Augusto Nunes.

O comentarista da Jovem Pan também comentou o resultado da eleição. Lira conquistou 302 votos, contra 145 de Baleia Rossi, escolhido por Maia para sucedê-lo. “Foi uma goleada espetacular. Baleia teve menos que a metade dos votos do Arthur Lira. Somando os votos do Baleia com os outros candidatos, eles não chegam a Lira. É incontestável que Lira conseguiu a maioria da Câmara. Quem consegue esse volume de deputados se elege presidente”, afirmou.