Governador atribui menor índice de Covid-19 no MS a ‘planejamento’

Mato Grosso do Sul é o estado com menor número de casos e mortes no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 11/05/2020 20h07 - Atualizado em 11/05/2020 20h12
Victor Chileno/ALMSReinaldo Azambuja deu entrevista ao programa "Os Pingos nos Is" nesta segunda-feira

Reinaldo Azambuja (PSDB), governador do Mato Grosso do Sul, estado que registra os menores índices de mortes e contaminações pela Covid-19 no Brasil, destacou, em entrevista ao programa Os Pingos nos Is nesta segunda-feira (11), o planejamento como o fator mais importante para controlar a pandemia na região.

De acordo com ele, as medidas de enfrentamento começaram a ser tomadas no dia 31 de janeiro, mais de um mês antes da maior parte dos estados. “No dia 31, montamos o Centro de Operações Especiais, dividimos e planejamos algumas ações importantes e paralisamos várias atividades”, afirmou.

Como medidas preventivas, segundo Azambuja, foram mantidos somente os serviços essenciais, aplicativos de trabalho remoto foram criados para evitar a ida das pessoas às repartições públicas e as aulas foram interrompidas. Além disso, o governo estadual se reuniu com os prefeitos para alinhar as decisões e, assim, ter uma coordenação unificada das ações.

“Foram feitos decretos municipais de isolamento, teve toque de recolher em algumas cidades onde tinham mais pessoas contaminadas ou municípios com maior densidade populacional. A atividade comercial não foi proibida, mas foram criados protocolos de funcionamento”, destacou.

Para o governador, apesar dos poucos casos, os cuidados continuam. “Atualmente, temos 17 barreiras sanitárias nas fronteiras do estado, monitoramento na entrada do Mato Grosso. Também existe na capital [Campo Grande] um drive thru, onde você faz a coleta dos exames”, pontuou.

A organização do sistema de saúde também foi pensada preventivamente para evitar a superlotação e o colapso. Ainda em janeiro, foram criados 214 novos leitos para o tratamento da Covid-19 — hoje, 200 estão disponíveis. Além disso, um hospital de referência foi construído, que está montado e preparado para receber pacientes.

O Mato Grosso do Sul registra 385 casos confirmados e 11 mortes. O índice de letalidade é de 0,4%.